sábado, 22 de agosto de 2009

passo atrás

Hoje não tenho notícias animadoras como estamos acostumados. A Silvana voltou a ser entubada por não conseguir manter o ritmo respiratório, se cansando demais e precisando ser mantida na VNI mais tempo do que o recomendável. Voltou a ser sedada (uma sedação mais leve do que a que foi submetida anteriormente) e entubada. O respirador visa dar conforto e descanso para a musculatura do pulmão, que deve estar muito dolorida principalmente pelo esforço de respirar com as costelas quebradas em ambos os lados.

Além disso, foi colocado novamente um dreno no pulmão direito (o último a ser retirado) e conseguiram drenar 400 ml de líquido da pleura. Para quem não é médico (a maioria), a pleura é uma membrana que envolve o pulmão e permite que o pulmão infle e desinfle.

A pleura é uma membrana mais ou menos estática que garante o espaço para as manobras do pulmão. O hematoma que vem marcando os exames radiológicos não diminuiu o esperado e depois de avaliação decidiram colocar o dreno e ficaram surpresos com a quantidade e rapidez que conseguiram aliviar o espaço entre a pleura e o pulmão. Essa drenagem vai permitir mais facilidade para o pulmão realizar as trocas gasosas e aliviar o esforço dela para respirar.

O quadro clínico permanece bom, com pressão e batimentos normais, exames laboratoriais sem indicar infecção, mas realmente não deu para ela se manter respirando sem auxílio.

Agora a programação médica é aguardar nova avaliação (na visita da noite os garotos não notaram nenhum líquido sendo drenado indicando que talvez tenha terminado a drenagem do líquido excedente) e voltar às manobras do "desmame" do tubo que ela havia finalizado com a "extubação espontânea".

É um passo atrás, mas as vezes alguns recuos são necessários para se conseguir avançar. O quadro permanece grave, mas em conversa com a Ana, pneumologista amiga da família, parece ser normal esse tipo de intercorrência por conta do fato de ficar deitada muito tempo. Inclusive a Ana conseguiu informações do Hospital por telefone de que a própria Silvana teria pedido para voltar a usar o tubo por não conseguir aguentar a dor de respirar sozinha, mas as informações por telefone costumam ser confusas.

Agora é voltar à corrente positiva, envolvendo a minha querida Silvana com muito amor e carinho para que ela possa voltar ao estágio anterior e retomar a caminhada para fora do CTI.

3 comentários:

Marcela disse...

Wolf,

Não tenho embasamento médico para "avaliar", mas pelo que vivi com minha mãe essas coisas acontecem nas fases de recuperação.

O corpo, quase que querendo se "livrar" desses aparelhos e etc., exige mais força do que ele está preparado à dispender e causa esses pequenos "recuos" nas condições clínicas.

Que todas as forças estejam com ela, com vc e vossa família.

Nossas preces e energias se dirigem à vcs!!!!!

Abraços,

Clédia disse...

A palavra de ordem é paciência...ir devagar que tudo dará certo e tudo ficará bem...Não adianta nos apressarmos, sei que é difícil, todos queremos logo a Silvi's no nosso convívio e o mais rápido possível... O falo dela não apresentar nenhuma infecção já é muito, dentro da gravidade de tudo que ocorreu. Como você disse as vezes é preciso recuar um pouco até a vitória final...
"...All we need is just a little (more) patience..."

A torcida daqui não esmorece nunca... beijos para todos
Clédia

Simone disse...

Adelino, continuamos em oração e Deus com sua mão forte e braço estendido, a sustentará ..Profetizamos vitória!!! Bjs grandes em nossa amiga e que toda essa corrente positiva a envolva e a abençoe!! Fé e Força!!! Bjs
Simone