quinta-feira, 30 de março de 2017

Bateria Moura, a escolha da HDMC para o Brasil: funciona?

Pouco mais de um ano usando a moto e tive dois problemas com bateria.

Infelizmente parece haver alguma falha no projeto das baterias da marca pois são várias as reclamações sobre as baterias originais adotadas pela HDMC no Brasil.

No primeiro problema que tive com a bateria já decidi pela troca em virtude das várias reclamações e como o custo da bateria usada originalmente era o menor, decidi por manter a marca e coloquei uma nova bateria da mesma marca.

Hoje, seis meses de uso, a bateria voltou a apresentar dificuldades para dar partida na moto. 

As HDs são conhecidas pelos seus motores "pesados" na partida, necessitando de alta amperagem para partida a frio e só posso lamentar a escolha da HDMC.

Tanto a primeira quanto a segunda bateria tiveram problemas muito cedo, mostrando que terão vida útil muito inferior as Yuasa que sempre usei na Fat Boy. 

É certo que as necessidades do sistema elétrico da CVO são maiores que os da Fat Boy, mas seis meses é uma duração que não recomenda o uso dessa marca.

Existem várias alternativas para a Moura: as mais recomendadas têm sido a Motobatt e a Yuasa.

Como o dealer não condenou a bateria, vou seguir usando a Moura até acabar, torcendo para, em caso de novo problema, ainda estar na garantia e cobrar uma solução da fábrica.

Como paliativo posso sugerir que se use o battery tender, um carregador inteligente que mantém a bateria carregada ligando e desligando o modo de carga conforme a carga medida diminui. Mas para isso é preciso comprar o carregador, instalar um rabicho elétrico e manter a moto perto de uma tomada elétrica... Essa "solução" tem sido frequentemente comentada nos fóruns de proprietários de HD.

Erro U0168

Com o problema da partida na CVO, rodei o diagnóstico e não havia nenhum erro anotado sobre o sistema elétrico ou o powertrain da moto.

O log anotou apenas um erro na seção do infotainment, o erro U0168, bem parecido com o último erro que havia sido anotado.

O erro anterior estava relacionado com o software do infotainment e o erro atual foi mau contato com o amplificador do Boom, sistema de alto falantes e amplifcador original HD.

Esse erro foi gerado por uma tomada frouxa no alforge esquerdo, bastando reapertar a tomada para resolver o problema.

CVO usando a garantia HD

Superando o imprevisto de não poder usar a moto por um problema, já fiz uso da garantia de fábrica três vezes desde que comprei a CVO.

Novamente fui muito bem atendido pelo dealer carioca, o problema foi solucionado com rapidez e a moto foi entregue limpa.

O detalhe extra desta vez foi ter usado o serviço do Rider Assist e não ter entregue a moto pessoalmente.

Vale ressaltar que a Rio HD entrou em contato comigo assim que recebeu a moto querendo detalhes sobre o problema que fez a moto seguir no reboque, sem esperar que eu os contactasse.

Por telefone relatei o problema, mencionei um código de erro relacionado com o infotainment (U0168) e pedi que verificassem se havia motivo para que a bateria não conseguisse acumular carga suficiente para dar partida na moto.

Rodrigo, atendente que vem cuidando da CVO sempre que foi preciso usar os serviços do dealer, me prometeu (e cumpriu) prazo para segunda feira (a moto foi para a Rio HD na sexta anterior). Recebi aviso do serviço pronto por SMS, não fui buscar a moto e voltei a receber avisos via SMS nos dois dias seguintes, quando fui buscar a moto.

Na entrega da moto relataram o serviço feito, a solução para o erro anotado no log e apresentaram relatório sobre a bateria, que após a carga não perdeu amperagem e cumpria o necessário para que a moto ligasse: ou seja, a bateria foi recarregada, o sistema elétrico foi verificado e o problema no infotainment resolvido, ficando sem explicação o motivo da bateria ter perdido carga com apenas três dias parada e seis meses de uso.

CVO testou o Rider Assist

Por conta de um implante dentário e das tarefas de carregar isso e aquilo, estou andando ainda menos do que o meu costume.

Com isso a CVO tem ficado parada por uma sequencia maior de dias e isso acabou cobrando o seu preço: apesar de ter carga para ligar os instrumentos, rádio, farol e luzes, a bateria não teve carga suficiente para conseguir fazer a moto virar o motor.... de novo (a primeira vez foi em setembro do ano passado - veja aqui).

Na ocasião decidi não usar a garantia e troquei a bateria mantendo a bateria original de fábrica: usei uma MA-30A da Moura.

Dessa vez decidi usar a garantia para verificar o sistema elétrico pelo curto espaço de tempo entre os dois problemas (seis meses) e acionei o Rider Assist (serviço de reboque oferecido pela marca enquanto a moto está em garantia).

Não tenho queixa do serviço do Rider Assist: pouco tempo de espera na linha e reboque agendado.

Pena que o serviço terceirizado encarregado pelo reboque falhou. No dia agendado aguardei por 45 minutos e o reboque não veio, e como tinha de trabalhar, não esperei mais. Recebi ligação do terceirizado quinze minutos depois, totalizando uma hora de atraso, perguntando sobre a moto e tive que dispensar o mesmo por não estar mais em casa para recebê-lo.

Antes que fizesse novo contato com o Rider Assist, o próprio serviço da HDMC entrou em contato comigo para verificar se o serviço havia sido concluído com satisfação e relatei o problema com o atraso. 

Foi reagendado o reboque para o dia seguinte e desta vez a CVO foi rebocada para a Rio Harley-Davidson. Motorista do reboque subiu os dois andares da garagem com a carreta atrelada na caminhonete (uma Ranger) e rebocou a moto sem maiores problemas. Fez amarração no quadro da moto e ter cuidado de retirar os alforges para evitar que os mesmos pudessem ser arranhados durante o translado.

De uma forma geral o serviço é bom, a moto foi entregue sem que tivesse que acompanhar o translado e não entendo o motivo para que o serviço não seja oferecido aos proprietários que já não estão mais em período de garantia.

fim de semana de promoções

Tanto HDMC quanto Indian seguem com promoções para as últimas unidades 2016.

Para quem tem interesse em moto zero, vale a pena passar para tomar café da manhã no dealers cariocas e ver se acha a oportunidade que estava procurando.

quarta-feira, 22 de março de 2017

ABRACICLO: números do carnaval

Reza a lenda que o ano só começa após o carnaval, e parece que as montadoras levam isso a sério.

No segmento premium a produção é pífia nos dois primeiros meses: a BMW produziu 839 unidades, a HDMC produziu 738 unidades e a caçula Indian produziu meras 58 unidades.

Com esses números as estimativas para 2017 sobem ligeiramente: cerca de 5000 unidades para a BMW e cerca de 4500 unidades para a HDMC. A produção da Indian espelha cerca de 350 unidades para 2017, número que deve mudar.

Na comparação com 2016, este ano ainda não mostra grande recuperação no mercado, vez que os números estimados estão bastante parecidos com os resultados finais de 2016.

Na ponta da venda, as fábricas fecharam com seus dealers as seguintes vendas: BMW 779 unidades (previsão em cerca de 4700 unidades vendidas para 2017), HDMC 648 unidades (previsão em cerca de 3900 unidades vendidas para 2017) e Indian 72 unidades (previsão em cerca de 450 unidades vendidas para 2017), mostrando também que os números seguem muito próximos dos resultados de 2016.

O top ten do carnaval da HDMC mostra a desova dos estoques das Dynas e o sucesso inicial de vendas dos novos M8.

Ficou assim: Breakout (em promoção) com 95 unidades, Fat Special (também em promoção) com 79 unidades, Iron com 76 unidades, Fat Bob (queimando estoques) com 75 unidades, Ultra Limited (já aparecendo na quinta posição com o novo M8) com 53 unidades, Roadster (olha a "novidade" da HDMC) com 43 unidades, Street Glide Special (outra com motor M8) com 39 unidades, Street Bob (também queimando estoques) com 35 unidades, Sportster 48 com 30 unidades e Heritage Classic com 28 unidades. Menção para a Road King Classic que aparece no décimo primeiro lugar com 21 unidades vendidas (outro com motor M8).

Com base nos números do carnaval, acredito que mude pouca coisa no mercado premium: a BMW e HDMC seguem liderando e a Indian fazendo esforço para se desligar das "marcas menores" do segmento.

Também podemos esperar que o M8 tenha uma boa participação nas vendas da HDMC, não só na família Touring, mas também nas CVOs que já contam com 12 unidades vendidas (a preços nunca antes imaginados por ninguém....). A esperada Road King Special deve alavancar as vendas do M8 no final do ano, garantindo um bom ano de estréia para o novo motor da HDMC.

Acredito no potencial da Roadster (deve tirar o lugar da Sportster 48) e penso que as Dynas só não terão um ano pior devido as prováveis promoções que serão feitas. Carregar o "vovô" TC96 é um peso que nenhuma HD merece... Sem falar que o preço não pode baixar muito por conta dos valores praticados na família Sportster... Ou seja, as Dynas estão entre a cruz e a espada nesse ano de 2017 e espero que o Salão Duas Rodas traga o motor TC103 como novidade para a família Dyna.

segunda-feira, 13 de março de 2017

HOG Rally Foz: inscrições esgotadas

Desde sábado (11/3) o site oficial do evento já informa que os passaportes já estão esgotados.

Para os interessados que não compraram o passaporte resta a lista de espera, ou comprar de um amigo que tenha desistido.

É bom lembrar que os passaportes comprados de pessoas que desistiram do evento só poderão ser retirados mediante apresentação da carteira HOG.

A organização também terá uma lista de espera uma vez que nem todos os interessados chegam a confirmar pagamento, mas contatos apenas via telefone indicado na página do evento.

sexta-feira, 3 de março de 2017

HOG Rally Foz: divulgado preço das acomodações nos hotéis parceiros


O HOG RJ divulgou planilha na sua página de Face Book com os preços das diárias dos hóteis parceiros (veja aqui)

O hotel que sedia o evento, o Mabu Thermas Grand Resort, tem preços de R$689 (single) e R$968 (duplo).

O hotel da mesma cadeia do hotel do evento, o Mabu Interludium, tem preços mais acessíveis: R$209 para o single e R$241 para o duplo, mas a página oficial do evento já mostra esse hotel como esgotado.

Os demais hotéis tem os seguintes preços: Wish Resort variando entre R$630 e R$840 para o single e entre R$680 e R$890 para o duplo: o Recanto tem preços variando entre R$805 e R$1000 para o single e entre R$805 e R$1015 para o duplo; e o Bourbon tem preços de R$584 para o single e R$687 para o duplo.

Verificando a planilha disponibilizada pelo HOG RJ, nota-se que foram os valores foram negociados e representam reduções em relação aos preços cheios das acomodações.

São preços menores aos encontrados hoje (3/3/17) no Trivago: o Wish tem o quarto duplo por R$669 (menor preço HOG R$680), o Bourbon tem o quarto duplo por R$850 (preço HOG R$687) e o Recanto já não aceita reservas.

Já li comentários nas redes sociais afirmando que os hotéis parceiros teriam majorado seus preços para o evento e a pesquisa desmente esses comentários. É certo que os hotéis parceiros não estão entre os mais baratos em Foz do Iguaçu (pesquisando hoje no Trivago ainda é possível achar hotel na cidade com diárias começando em R$150), mas pela pesquisa os hotéis parceiros nunca estiveram entre os mais baratos.

A título de curiosidade, minha filha esteve passando este carnaval em Foz do Iguaçu e recomenda muito bem o Wish, com facilidades muito além de um mero quarto limpo para dormir. Acredito que os demais hotéis parceiros ofereçam o mesmo padrão.

Cabe a quem decidir participar do evento encontrar a melhor opção para seu bolso, uma vez que a hotelaria faz diferença no orçamento.

quarta-feira, 1 de março de 2017

HOG Rally Foz do Iguaçu: inscrições abertas




As inscrições para o principal evento HOG do ano já estão abertas (você pode consultar o site aqui).

Na abertura da postagem está uma foto com os valores para o evento e no site você recebe sugestões de hotéis para a hospedagem.

Detalhe nas sugestões: se decidir por uma das sugestões, somente poderá fazer reserva após a compra do passaporte. A organização do evento envia um relatório com os participantes diariamente para os hotéis e somente mediante a confirmação de que está participando que a reserva é liberada.

Eu fiz uma pesquisa rápida e o hotel do evento (Mabu Thermas Grand Resort) e seu coligado (Mabu Interludium) não estão aceitando reservas para a data do evento. Nos demais (Bourbon, Wish e Recanto) o site Trivago tem preços variando entre R$650,00 e R$850,00 por noite (quarto duplo).

A programação divulgada mantém o formato conhecido: chegada no dia 7/9 com Welcome Drink e festa na piscina do Hotel do evento; no dia 8/9 a programação prevê passeio ao parque das Cataratas do Iguaçu, almoço, confraternização e festa temática: no dia 9/9 temos a Flag Parade seguida de almoço e no 10/09 dispersão e início da volta.

O Rally não está na programação, mas os riding games devem ocorrer na tarde do dia 8/9. Não foi divulgado nenhuma atração para a festa temática.

Para sair do Rio, participar do evento, hospedar-se nos hotéis sugeridos e tomar uma cerveja eu estimo um orçamento perto dos R$5.500,00/casal.