sexta-feira, 27 de setembro de 2013

seta e corredor: relação complicada

"Seta não é c.., dê sem medo" é uma frase que leio muito na web, principalmente no Facebook.

Mas de que adianta dar seta para fazer conversão ou mudar de faixa se o infeliz que vai em cima da moto decide acelerar para passar antes do carro fazer o que está indicando?

Corredor não é faixa de rolamento, é alternativa para as motocicletas não ficarem presas no trânsito e deve ser usada como tal: não adianta ficar aborrecido porque o carro está indicando que vai mudar de faixa e você vai ter de diminuir para deixar o carro fazer a conversão: isso é trânsito.

Nesta semana foram três acidentes perfeitamente evitáveis se o infeliz que vai em cima da moto tivesse o usado o bom senso e desacelerado ao invés de acelerar.

Vale a campanha: "seja paciente, dê a vez." Quem sabe o DPVAT baixa....

3 comentários:

Wilson Roque disse...

Eu fico horrorizado como os motoqueiros do Rio e de SP pilotam. Mas o que me preocupa mais é que este comportamento irresponsável está se alastrando pelo país todo. Até aqui em SC, onde não se via isto, já está acontecendo, somado ao avanço de sinal vermelho. Lastimável.

Bayer - Old Dog disse...

Disse tudo... O cara acha que o corredor é a faixa de rolamento dele, e vem buzinando já a 50 metros de distância. Faz curva entre os carros a 70km/h sem ter a menor visão se vai ter um carro mudando de faixa logo à frente.

Aqui em São Paulo é comum ouvir o motoqueiro gritando "sai do corredor" ou "o corredor é nosso".

O corredor é só um espaço vazio entre os carros, igualzinho a cabeça desses infelizes.

Pettine disse...

É um acidente atras do outro, temos muito o que aprender, portanto, daqui a pouco vão baixar uma norma que teremos que andar de armadura medieval e atras dos carros, ai sim acabará com todo o prazer de andar sobre duas rodas.
abs.