quinta-feira, 14 de maio de 2009

Test Drive na Road King

Ontem a noite no Rota 66 o Salmon chegou com uma Road King 2006 e disponibilizou para quem quisesse andar com a criança.

Amigos, vou dizer uma coisa: a moto é muito gostosa! Bem mais fácil de manobrar que as Electras Glides tanto rodando quanto empurrando para colocar na vaga. O peso parece muito menor e a agilidade no meio do transito é sensacional.

O motor sem os balanceiros rende bem melhor e não tenho certeza, mas acho que ainda usava o TC88. Na comparação com a minha Fat posso dizer que ela tem mais velocidade final, mas ainda precisa melhorar o mapa (que deve ser original, uma vez que a moto estava praticamente original: filtros, canos e até os manetes eram originais).

Não gostei, para variar, do windshield. Seria a primeira providência se fosse o proprietário: tirar o windshield, mas funciona muito bem, inclusive sem turbilhonar na parte de cima do capacete, mas sou baixo e fico totalmente coberto por ele.

Outra coisa que chamou a atenção foi o fato de apoiar os dois pés no chão. Coisa que não consegui até hoje nas Road King em exposição no salão da HD RJ. A explicação é o banco diferente do original. O Salmon disse que era um Badlander, mas esse com certeza não era pois tenho um na minha Fat. Eu aposto no Reach Seat ou no Sundowner, com mais chances para a primeira opção. Essa experiência me deixou bastante confiante nas minhas chances com as Touring pois apenas mudando o banco a pilotagem melhorou muito.

De resto é a mesma posição da Electra, onde você fica com os pés um pouco mais altos e acaba forçando o "panceps", precisando se jogar para trás para encontrar uma posição mais confortável. A melhor definição para a posição de pilotagem das Touring é que faltam 10 cm na moto... se a moto permitisse esticar um pouco mais as pernas seria perfeita. Nada que uma Highway Footpeg não resolva e uma nova regulagem no guidão.

O guidão da Road King é outro capítulo: mais baixo que o da Electra Glide, permite maior agilidade no transito embora esterce menos que a Electra Glide.

A garupa da Road King precisa de um banco melhor e um Sissy Bar, mas as regulagens pneumáticas da suspensão traseira garante bastante conforto para o passageiro, mas ainda assim a garupa da Electra Glide continua imbatível.

Os alforges ficam bem na Road King do mesmo modo que fica bem o tour pack na Electra Glide por conta da vocação estradeira e você acha o conjunto bastante harmonioso.

Concluindo: ambas devem ser ótimas na estrada, para pilotar a Road King sem o windshield elimina todas as minhas críticas às Touring que são hibrídos de carros e motos sem chegar às raias do exagero de um triciclo, mas se você vai viajar com garupa não tem outra escolha a não ser as Electra Glides.

3 comentários:

Rui Tsukuda disse...

Wolfmann
Parabens pelo blog, estou em duvida em comprar uma RK 2008 com ABS com 3 mil km e motor 96 e uma 2011 com 13000 km tbem com ABS mas com motor 103 sem opcionais , a 2008 tem opcionais como banco para baixos da HD e capa HD e sissybar , a diferença de preço é para mim significativa em torno de 4 mil reais . qual sua opinião,agrdeço a resposta por email
Grato Rui

wolfmann disse...

Rui, não tenho como responder por e-mail por não ter o seu contato.

Na comparação entre a 2008 e a 2011, eu prefiro a 2011 por já usar o chassi novo que evita as "reboladas" da 2008.

Em termos de motor, tanto a 2008 quanto a 2011 terão desempenho parecido, mas a eletrônica da 2011 é mais atual e já conta com um sistema elétrico capaz de evitar os problemas recorrentes de regulador de voltagem. Outro ponto para a 2011.

Mas, o fator que é sempre fundamental é o valor que temos a disposição para investir na moto e você já comentou que a diferença entre as duas motos é significativa para você: compre a 2008. Não há nada que desabone a moto, talvez acabe investindo em um true track para melhorar o chassi, mas isso você vai decidir com o uso, sem comentar que os acessórios que ela traz te interessam.

Boa compra, boas estradas.

Abraço.

Rui Tsukuda disse...

Obrigado pela sua resposta
Abraço