sexta-feira, 1 de maio de 2009

Injeção tem regulagem?

Na passagem por São Paulo passamos a moto do Claudio pelo dinamometro da HD Pimenta, sendo o próprio Pimenta o responsável por isso.

O mapa que estava na moto foi desenvolvido no Rio pelo Alvaro e estava na nona versão do mapa, na base da tentativa e erro, sem grandes instrumentos além da cabeça para fazer isso. Esse mapa custou um mês de férias do Alvaro, junto com muita conversa com várias pessoas, inclusive eu.

Depois do mapa pronto, não se perde mais do que quinze minutos para remapear a moto: retira-se o banco, acessa-se a ECU através de tomada proprietária HD, pluga-se ao computador e faz-se o download do novo mapa. Recoloca-se o bancoe está pronto o remapeamento da moto. Não tem regulagem no mapa antigo... simplesmente é gravado o novo mapa em cima do antigo, e do mesmo modo que não tem regulagem também não tem como obter o mapa que está na moto, simplesmente se obtem o código do mapa sem saber se esse mapa foi modificado ou não. Por isso é importante que você mantenha uma cópia do mapa da sua moto, pois se gravarem outro mapa será necessário recomeçar todo o trabalho novamente para remapear a injeção.

Bom, se não tem regulagem para que passar a moto pelo dinamômetro? Para ser bem sincero, não tem essa necessidade. O Claudio insistiu e eu quis acompanhar para ter certeza de que haviamos desenvolvido algo que realmente era condizente com a nossa necessidade.

O remapeamento foi feito atendendo alguns fatores: melhor performance com ponteiras e filtros esportivos, mais potência, melhor aceleração, maior economia e menor temperatura de uso. Além disso foi feita a tropicalização do mapa americano com a relação estequiométrica de alcool/gasolina brasileiros. Como um plus, o Alvaro programou o "parade mode" que permite o desligamento do cilindro traseiro sempre que a moto entra no transito pesado e fica no para/anda característico.

Dessas premissas nasceu o mapa das softails que estão rodando aqui no Rio e usam o SERT e esse mapa foi modificado pelo Pimenta. Trabalho de um dia e meio no dinamômetro para ele me dizer que o ótimo é o inimigo do bom. O que ele quis dizer foi que o mapa desenvolvido somente na prancheta era bom e por mais que ele se esforçasse para conseguir maior potência (ele conseguiu apenas mais três hp), seus esforços foram uma demonstração de que havia pouco a ser melhorado. Hoje a moto está com o torque nascendo um pouco mais cedo e o giro máximo foi alongado em mais 200 rpm sem qualquer troca de comando de válvulas. Com isso a moto acelera mais rápido, mas consome cerca de 10% a mais. A temperatura permanece a mesma e a performance sofreu uma mudança perceptível apenas quando você enrola o cabo do acelerador.

Para os amantes do carburador (e eu não sou um amante do carburador, mas um grande apreciador deles) digo apenas que a injeção não é mais difícil que o carburador. Pode dar mais trabalho para limpar um bico injetor (e não boto minha mão no fogo por isso), mas dá muito menos trabalho fazer o download do mapa desenvolvido do que regular um carburador.

A injeção depende de outras sistemas (bomba de gasolina contra a torneira do tanque), mas tem muito mais rapidez e uma gama maior de soluções para problemas durante uma viagem do que um carburador. Se você parar em uma viagem por conta do mapa de injeção vai precisar de uma carreta (a menos que você esteja com o SERT e o computador na mala), mas o carburador também pode precisar da carreta (experimenta desmontar um carburador no meio da estrada para soltar uma bóia ou limpar um giglê).

Não vou mais dizer que o carburador tem uma manutenção mais simples. A manutenção da injeção é simples na mesma medida (ou mais), mas vai precisar de um técnico bem melhor do que temos encontrado nas oficinas autorizadas (que colocam qualquer mapa no lugar do mapa correto)e esse ainda é o calo da injeção: mão de obra.

2 comentários:

wilker af disse...

wolfmann, só não entendi uma coisa, necessita ou não de SERT? Estou adiquirindo uma xr e percebi que terei de fazer algo a respeito da mistura pobre e não queria investir tanto, quanto muito num recline ou algo do tipo.

wolfmann disse...

Wilker, Sepst (versão atual do Sert) é apenas um dos modos de ajustar a injeção.

O Bayer (Old Dog) tem uma XR e usa o redline, inclusive já postou sobre isso no blog dele: está bastante satisfeito.

É uma escolha de cada um, lembrando sempre o que tem em mente: quanto mais fino for o ajuste, mais sofisticada será a solução.