sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

qualidade da gasolina

Quem acompanha o blog sabe que andei experimentando diversos tipos de gasolina e marcas. Isso se deu por força de um diagnóstico feito na oficina autorizada de que falhas na moto seriam decorrentes da qualidade da gasolina.

Gente, eu trabalho com posto de gasolina e abasteço normalmente nos postos em que trabalho ou em posto que tem programa de controle de qualidade, portanto qualidade de gasolina não seria o causador das falhas na minha moto, mas como a gente não discute com mecânico fui a luta.

Ao fim e ao cabo, uma parte das falhas era causada por uma vela frouxa que relatei no post anterior.

De toda forma, acabei pesquisando sobre gasolina, fiz experiências e vale a conversa sobre gasolina.

Inicialmente vamos entender o seguinte: a gasolina nos EUA usa 10% de alcool ao contrário da nossa que usa, hoje, 25% de alcool. Ou seja: nos EUA a cada 10 litros de gasolina que você compra na bomba, 9 litros são de gasolina e 1 litro é alcool e no Brasil a cada 10 litros de gasolina que você compra na bomba, 7,5 litros são gasolina e 2,5 litros são de alcool.

Além do menor volume de gasolina, nos EUA a gasolina chamada Regular tem um índice de octanagem mínimo de 85 octanas (idêntico ao do Brasil), mas é ADITIVADA (ao contrário do Brasil que não recebe qualquer aditivo) e ambas são sem chumbo. Além desse tipo existem mais dois tipos Mid-range e Premium, onde a diferença é o índice de octanagem (mínimo de 91 octanas para a Mid-range e mínimo de 95 para a Premium que no Brasil somente a Pódium da Petrobrás possui).

Desta forma, quando o manual da HD recomenda gasolina REGULAR não está recomendando a nossa gasolina comum, mas sim a gasolina aditivada. É um erro de tradução que está matando a leitura do manual e a turma das autorizadas repete o manual traduzido.

Não existe qualquer problema em usar a gasolina comum, exceto que o motor precisa consumir mais combustível para compensar o excesso de alcool na nossa gasolina. Enriquecer a mistura é questão apenas de melhorar a dissipação de calor, já que os motores são refrigerados a ar e quanto mais rica a mistura melhor a queima e dissipação de calor.

Na prática o que eu constatei é que a melhor gasolina comum é a Especial da Texaco, exatamente porque ela é aditivada e as demais gasolinas comuns não são. Entre as gasolinas premiums, prefira a Pódium da Petrobrás porque é a única que tem o índice de octanagem da gasolina premium americana, mas tem melhor qualidade que as gasolinas premiums americanas, embora já tenha escutado boas referências sobre a V-Power Racing da Shell (não cheguei a usar) mesmo sem atingir o índice de 95 octanas da Pódium da Petrobrás.

O uso das gasolinas aditivadas brasileiras tem o problema com alguns aditivos muito fortes e capazes de desmanchar juntas de silicone. Recomendo fortemente que se evite o uso da gasolina Supra (solvente forte). A V-Power da Shell também não tem muitas recomendações (eu não cheguei a usar). A aditivada da Texaco é jogar dinheiro fora, uma vez que a Especial também é aditivada e custa mais barato. As aditivadas da Esso e Ipiranga são equivalentes.

Na estrada as opções diminuem, e muitas vezes a gente abastece rezando para não dar problema, mas se você tentar usar postos de gasolina que participem de algum programa de controle de qualidade a possibilidade de problema diminui.

10 comentários:

Fernando Nappe disse...

Salve Wolfman,
Muito interessante a sua pesquisa. Eu também sempre gostei da Texaco, mas e agora que não a temos mais? Qual usar? Eu estou usando a aditivada da Ipiranga, mas honestamente, já percebi perdas em relação à Texaco que usava antes. Pensei em usar a V-Power mas vc disse não ter boas recomendações. Que deméritos ela teria? Obrigado e parabéns pelo blog.

wolfmann disse...

Fernando, a Texaco ainda está no mercado, apesar de controlada pela Ipiranga.
Os postos com bandeira Texaco serão substituídos conforme política da Ipiranga, mas aqueles que ainda existem contam com combustível dentro das normas da Texaco.
Com relação à gasolina da Shell, o grande problema vem sendo os aditivos que vem sendo utilizados na V-Power. O problema parece ser em relação aos percentuais adotados porque a V-Power Racing (gasolina premium) foi bem elogiada por alguns colegas que a adotaram por ser um posto perto da residência deles.
Atualmente venho adotando a gasolina da Petrobrás por ser a mais fácil de ser encontrada em revendedores com controle de qualidade. Venho fazendo um mix de gasolina comum com gasolina pódium e vem dando certo.
Eu sempre encho o tanque quando a reserva acende a primeira vez e isso dá por volta de 12 litros (2/3 do tanque). Em cada três abastecimentos eu encho uma vez com gasolina pódium e duas vezes com gasolina comum. Além de melhorar a qualidade da gasolina comum da Petrobrás diminui o custo médio da gasolina pódium e venho tendo bons resultados: média de 13 km/l na cidade e 20 km/l na estrada, sem falar na diminuição do estresse de procurar um posto Texaco, embora ainda faça uso dos postos Texaco sempre que possível.

Anônimo disse...

Oi Hoffman ! Li atentamente o seu post e eu ja morei nos EUA e trabalhei como mecanico e frentista de posto de gasolina Full Service. So para corrigir alguns valores que vc colocou: a gasolina de menor octanagem nos EUA e a regular unleaded que tem 87 octanas, depois vem a miggrade ou plus unleaded com 89 octanas e depois dela a premium ou super unleaded com 93 octanas. Sim, as gasolinas americanas atualmente contem por decreto federal um minimo de 10% de etanol anidro e vão aumentar para 15% talvez ainda este ano. A adição de etanol em qualquer gasolina no mundo só melhora sua qualidade porque a sua queima é mais otimizada e por isso polui menos e suja menos internamente os motores do que as gasolinas puras que deixam muito carvão na sua queima. E nunca se pode comparar as gasolinas americanas com as péssimas e desqualificadas gasolinas brasileiras, porque as nossas gasolinas são muito mal refinadas e muitissimo pleosas,o que é altamente prejudicial para uma queima perfeita e ainda poluem muito o nosso ar ambiente, isso sem falar que elas deixam muito carvão dentro dos nossos motores e o pior, contaminam o oleo lubrificante dos motores com sua péssima queima . A unica excessão aqui é a gasolina podium da Petrobras, mas ela tambem não tem a qualidade das gasolinas super premium americanas, isso eu posso lhe garantir. E por ultimo, as gasolinas brasileiras só atingem as octanagens que elas possuem, exatamente porque contem de 20% a 25% de etanol anidro misturado nelas, senão, seriam um LIXO completo. É isso aí pessoal, vamos dar a Cesar o que é de Cesar, portanto , verdades sejam ditas ! Abraços a todos !

wolfmann disse...

Você precisa ver o método das medições de octanas: MON ou RON. Brasil e EUA usam métodos diferentes e se fizer a conversão vai chegar nos valores que postei, mas não altera em nada a conclusão: nossa gasolina é das piores no mercado mundial.

Anônimo disse...

Oi Hoffman !

Li aqui seus comentários sobre as gasolinas americanas e brasileiras, realmente as octanagens das gasolinas americanas obedecem ao metodo IAD, igual ao brasileiro, que consiste na média das octanagens método motor e método pesquisa !
E a outra diferença básica é realmente que as gasolinas brasileiras contem maior percentual de etanol anidro adicionados nelas, além de serem muito pior refinadas do que as gasolinas americanas, o que causa maior carbonização interna nos motores, além de poluirem muito mais o ar ambiente do que as gasolinas americanas, portanto sem chance alguma na comparação destas gasolinas !

Anônimo disse...

O nome do cara é WOLFMANN e não HOFFMAN! Eu me chamo Pinto e não Galo. Pra quem morou nos EUA, Wolfmann e Hoffman têm pronúncias muito distintas.

Ricardo Garcia disse...

Wolfmann,
Tudo bem?

Nāo sei se viu, mas estou no Brasil/ férias e retirei a moto esta semana. http://www.forumharley.com.br/index.php?board=29.0

Bom, aqui em Leme nāo tem Ipiranga Premium, ou BR podium.
De acordo com o que entendi, fico com a comum, certo?

O frentista, "falou" para eu colocar comum e sempre um fraco de aditivo...

O que me diz.
Um forte abraço.

P.S. A motoca é linda cara, feliz...

wolfmann disse...

Ricardo, o frentista quer vender o aditivo porque ganha comissão para isso. Se quiser usar aditivo na gasolina comum, melhor usar a gasolina aditivada que já vem com os aditivos na proporção para cada litro.

Os aditivos vendidos em postos de gasolina são destinados para uso automotivo e por isso calculados para tanques maiores, obrigando a usar meio frasco ou menos para tanques de motos.

Note que o motor Revolution é um motor de alta compressão e a gasolina indicada é Pódium ou Premium por terem maior octanagem e não pela presença de aditivos.

A gasolina comum e aditivada são gasolinas de baixa octanagem e o uso de aditivo não vai mudar isso.

Eu usaria a comum na falta de uma gasolina de maior octanagem.

Abraço.

Patrick Andrade disse...

Bom dia Wolfmann!
Gostaria de saber sua opinião sobre o combustível dos postos Ale. Tenho uma XLH 1200C 98 e venho abastecendo com gasolina comum Ipiranga, raramente uso V-Power Shell e não achei muita diferença no rendimento, só os gases da queima que ficaram um tanto quanto fedidos em relação ao combustível Ipiranga. Acontece que, o pessoal da oficina tem reclamado bastante do posto Ipiranga daqui e passou a usar o Ale.
Daí me restou a dúvida! Abraço

wolfmann disse...

Salvo engano, a ALE não tem gasolina premium.

Eu não tenho experiência com a ALE, mas acredito que se o posto é confiável você não vai ter problema com o combustível, mas vai usar gasolina com 27% de alcool.

Siga a recomendação da sua oficina de confiança.

Abraço.