sábado, 2 de outubro de 2010

Pneus III: 500 kms de Metzeler

Moto rodando muito na cidade é sinal de poucos kms feitos.

Nesta semana que passou completei os 500 kms iniciais com o Metzeler na frente e já se consegue uma avaliação livre da cera de armazenagem e já em condições de uso.

É nitidamente um pneu mais rápido. Hoje, a Fat tem seu limite ditado pelo Dunlop traseiro em perto do fim de vida. O pneu dianteiro possibilita uma inclinação bem maior que o pneu traseiro, deixando a moto mais rápida na tomada da curva (quando o limite de inclinação na curva é ditado pelo pneu dianteiro) e mais lenta na saída da curva (quando o limite da inclinação na curva é dado pelo tracionameno do pneu traseiro).

Vamos combinar que continua sendo uma HD, onde os limites são ditados pelas plataformas, e não uma speed. Não estou falando de entrar em uma curva de 90 graus colocando o joelho no chão, mas é bem perceptível o menor esforço para inclinar a moto e fazer a curva mais fechada e consequentemente conseguir um traçado mais rápido.

Já o pneu traseiro mostra suas limitações na hora de tracionar: como você inclina com menos força, a tendência é iniciar a aceleração mais cedo para levantar e sair da curva. Nesse momento é perceptível que a tração demora mais para agir, deixando a moto mais tempo inclinada e fica aquela sensação de hesitação onde você não sabe exatamente o que vai acontecer, mas a moto volta a responder e você vê que não fez bobagem... ou seja, um leve susto até acostumar com esse retardo na resposta.

Na chuva, é nitidamente maior essa diferença, chegando mesmo a rebolar como se fosse uma Fat mais nova que usa o pneu 200, porque a moto inclinou mais rápido e levanta mais lentamente, fazendo com que você acelere mais e quando traciona a roda puxa com mais força devido a diminuição do atrito pela presença da água.

Além dessa diferença, também sinto uma diferença no perfil do pneu dianteiro, deixando a moto com a frente mais leve. Seria como se tivesse uma superfície menor de contato em linha reta e uma superfície maior em curva.

O Dunlop era mais quadrado e o Metzeler mais arrendondado, deixando a moto mais sensível e consequentemente mais precisão no traçado escolhido. O Metzeler deixa a moto com menos "opinião" na hora de escolher o traçado. O piloto tem menos trabalho e a moto responde melhor.

Concluindo: os Metzelers exigem um piloto com mais experiência (ou menos experiência com o pneu original... tudo depende do hábito) por serem pneus mais rápidos e precisos. A mistura de marcas não é o melhor dos mundos, mas nada que um pouco de prática não resolva se for necessário fazer. Alguns colegas simplesmente não se adaptaram ao Metzeler, seja por conta da diferença de composto, seja pela necessidade de adotar uma medida ligeiramente diferente (nas Fats mais novas é necessário usar um pneu mais alto na dianteira para manter a medida de tala 140 mm e na traseira um pneu mais baixo com medida de tala mais larga - tala 210 por falta da medida original no catálogo Metzeler).

Ainda não experimentei o Metzeler na traseira, somente na dianteira (na FX também havia trocado por um Metzeler e tinha gostado muito), mas acredito que vá tracionar melhor. Acredito que até o fim do ano esse Dunlop tenha chegado ao fim da vida e vou experimentar o Metzeler também na traseira.

7 comentários:

Anônimo disse...

Pois é :
Troquei o pneu traseiro (eu mesmo tirei a roda, para aprender), inverti o eixo e coloquei um pneu de uso misto, Bridgestone japones, 140/80-17 (o original era Dunlop 160/70-17) . O desempenho melhorou sensivelmente em todas as situações, paguei a metade do preço do original, a quantidade de borracha da banda é o triplo do original e a durabilidade deve ser bem maior do que os 7780 Km do anterior. Como já tive big trail, tive a idéia e pior que deu muito certo. Quanto à aparência, fico com cara de trator Massey Fergusson, apesar da medida menor. A altura 0,5 cm maior.
Gastei 35,00 apenas com a montagem e balanceamento.
Léoclima

wolfmann disse...

eu também montei e desmontei o pneu no posto que trabalho, mas acabei pagando um pouco mais no balanceamento R$ 50,00 no Magoo.

Mantive a medida original porque existe no catálogo Metzeler.

Em tese ao adotar um pneu mais fino, você perde nas curvas, mas como HD não é speed...

Vai dando feedback do uso.

abraço.

Anônimo disse...

Alo Wolfmann
Onde você comprou o seu pneu 120?
Como faço para entrar para o HOG?

Abraços

Carvalho
carvalho@3wart.com.br

wolfmann disse...

No Rio, a Metzeler tem apenas um representante cadastrado: Homa Motos - Rua do Riachuelo, 410 - Centro. Comprei o pneu 130/90B16 lá.

Verifica as medidas e visita o site deles: www.homamotos.com.br

Para participar do HOG basta aparecer no café da manhã aos sábados na loja HD RJ. Neste sábado o HOG RJ vai para Araruama. Eu não vou porque já tenho outra viagem marcada.

Anônimo disse...

Alo Wolfmann
Acabei comprando peça internet, na HD Point Pimenta. Segui sua sugestão e comprei o par pra ficar mais uniforme o comportamento. 120 na frente e 210 na traseira. Vou trocá-los esta semana, mas já deu pra ver que não são quadrados como os originais.
A ida numa reunião no Rio é complicado para mim, estou perto de Juiz de Fora e sábado é dia de visitar os netos em Itaipava. De qualquer forma vou tentar pintar por lá.
Grande abraço
Carvalho

celso disse...

Wolfmann,
Estou tendo dificuldade em comprar o pneu traseiro metzeler para minha Dyna (16/70-17). Alguma dica?

wolfmann disse...

O representante da Metzeler aqui no Rio é a Homa Motos (www.homamotos.com.br), mas já fiz uma pesquisa na web e vi que essa medida está em falta aqui no Rio.

Quem também vende Metzeler no Rio é a Brazil Custom (www.brazilcustom.com.br - tel 2226-8001). Não custa tentar lá.

Em Niterói tem a Fazzi Custom (2710-8000) que também pode ter alguma coisa em estoque, valendo o mesmo para o 1220 na Barrinha, mas esse telefone eu não tenho.

Se você não for do Rio, sugiro que você entre no Forum HD (www.forumhd.com.br) e dê uma pesquisada por lá que os foristas costumam deixar dicas de onde encontrar peças e acessórios.