domingo, 14 de março de 2010

Ecos do F T D

O retorno dos problemas no setor de vendas do dealer brasileiro fez o movimento Fuck
The Dealer retomar força.

Muitas reclamações em relação a demora na entrega das motocicletas vendidas e na liberação dos documentos para os novos proprietários vem dando muito trabalho ao SAC do IMOCX e aos gerentes das lojas HD Brasil.

A divulgação de canal de comunicação com o encarregado da HD para a América Latina e o aumento da pressão dos clientes insatisfeitos com as práticas do revendedor autorizado brasileiro junto a HD USA começam a ter alguns efeitos.

Os primeiros efeitos foram a separação física e legal da marca HD das demais marcas representadas pelo IMOCX. No último sábado, quando estive na loja HD RJ para a confraternização do café da manhã e a palestra do Artur foi marcante a influência dessa mudança: enquanto a loja HD RJ estava repleta de pessoas, a loja ao lado, onde são revendidas as demais marcas, estava praticamente vazia.

Além disso, o loja já começa a ficar mais vazia, com menos motocicletas dando a impressão que o volume de vendas está aumentando (fato constatado pela publicação dos dados referentes ao primeiro bimestre no site da Abraciclo - www.abraciclo.com.br).

Em relação à ciranda financeira usada pelo revendedor autorizado, parece que providências foram tomadas para cobrir o capital de giro necessário para a liberação do gravame das motocicletas vendidas.

Rumores dão conta de nova parceria com instituição financeira para cobrir o buraco e satisfazer as exigências dos consumidores e da HD USA. Resta saber quais serão as consequências dessa nova parceria, se é realidade a nova parceria e se os planos divulgados na imprensa de abertura de quatro novas lojas (Ribeirão Preto, Brasília, Salvador e Florianopólis) serão mantidos.

O evento tradicional do HOG Rallye está em vias de ser cancelado ou adiado para o segundo semestre. Nada impede que seja organizado às pressas ainda no primeiro semestre, mas tudo indica o contrário.

Com contrato de exclusividade até 2015, o Grupo Izzo precisa de um excelente ano de 2010 para conseguir mostrar à HD USA que é um caminho viável para o mercado brasileiro.

Como já escrevi antes, cabe ao consumidor exercer o seu direito e cobrar, mesmo que na justiça, providências para que o revendedor autorizado cumpra com as obrigações decorrentes da relação de consumo.

2 comentários:

Guerreiro ;-) disse...

Oi Adelino. Parabéns pelo site em primeiro lugar. Recebí a indicação dele de um primo do RJ que faz parte do HOG. Sou de Brasília, e não temos assistencia alguma aqui. Para comprar motos, revisar, acessorios e etc, é preciso ir até Goiania (200km) pra fazer tudo. Tenho uma Fat Boy 2008 comprada em SP, zero, e induzi dois amigos a comprarem duas Dyna no inicio do ano. A compra foi realizada no dia 01/fev/2010, com a promoção de 24x sem juros. Já se passaram 45 dias e ainda não recebemos as motos. A HD-GYN diz que a culpa é de SP, e do Finasa, que por sua vez diz que a culpa é dela. Estou pra entrar na justiça pra ver se fazem alguma coisa. O Gerente de lá (Marcio) diz que tudo se resolverá essa semana. Estou pagando pra ver. Obrigado pela força e parabéns pelo site. Já retomei os posts anteriores para saber o que aconteceu com sua mulher, Silvana. Estou torcendo por ela por aqui.
Forte abraço do Amigo de Brasilia,

Thiago.

Wilson Roque disse...

Na minha avaliação, o Grupo Izzo tem um tremendo problema de gestão. Com um mercado demandado, só mesmo um mau gerente consegue esta proeza. A marca vende sózinha, o custo de distribuição é reduzido (poucas revendas). O luxo das instalações foram exagerados, em prejuízo da qualidade do atendimento no pós-venda. Qualquer garoto recém formado em Administração e Marketing faria melhor.