sábado, 30 de março de 2013

motores diferentes

Todo mundo que gosta de HD já ouvir falar nos motores clássicos das HDs: os primeiros V-Twin de 1909 com 50ci e 3 hp, os F-Head que foram até 1929, os Flathead (cabeçote plano) de 45 ci que foram até 1948, em conjunto com sua variação Knucklehead de 61 ci e 80 ci que apareceram em 1936 e encararam toda a II Guerra Mundial até 1947 até serem substituídos pelos Panhead com válvulas no cabeçote e foram até 1965 em conjunto com os motores série K(45 ci) e KHK (54 ci)na década de 50 que equiparam os modelos que vão dar origem à Sportster e seus motores Ironhead de 55 ci até serem substituídos na década de 80 pelos Evolution (1986 para unificar as linhas de produção).

Já o Panhead vai evoluir para o Shovelhead em 1966 e dar espaço para o Evolution em 1984 de 80 ci que traz a ignição eletrônica para as HDs. O Evolution dá lugar ao Twin Cam em 2000 com o TC88 e suas evoluções TC96 em 2006 e TC103 em 2011.

Esses todo mundo conhece, mas poucos comentam sobre o motor boxer, tradicional na BMW e copiado desta durante a II Guerra Mundial em 1942 que equipou o modelo XA, uma variação do WLA que usava o Knucklehead. Dá uma olhada nele:


Esse motor teve vida curta equipando apenas os modelos XA produzidos para equipar as tropas aliadas na Europa. A idéia era aproveitar ao máximo as peças de motos abandonadas pelos alemães ao longo da guerra.

A cara da moto:

Outro motor diferente é o motor com refrigeração líquida. Não estou falando dos Revolutions que equipam as VRSC, mas de um motor desenvolvido pela divisão de competição da HDMC para uma categoria análoga à Super Bike moderna da AMA: o motor da VR 1000


Esse motor, tal e qual o moderno Revolution, usava arquitetura em V com angulo de 60º, tinha refrigeração líquida, girava a 10.000 rpms, usava injeção eletrônica e desenvolvia 135 hp. Tudo isso em 1994.

Como se vê, nem só de clássicos V-Twin de 45º vive a HDMC.

3 comentários:

Wilson Roque disse...

A conclusão é que a HDMC tem capacidade tecnológica para navegar em quase todos os mares motociclístico. A opção é clara por manter-se fiel à sua tradição. E é o que mais fideliza seus milhões de seguidores.

wolfmann disse...

Aguarde o próximo post. Abraço.

Anônimo disse...

A muito tempo atrás fis um post em um blog de um amigo sobre este motor.
http://redriderspoa.blogspot.com.br/2009/09/motores-inspraos.html
Realmente muito atípico se considerar o histórico da MOCO.

Gustavo O.