quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

apresentando a nova moradora da garagem



A nova inquilina é Street Glide CVO, que junto com a Road King Police são os modelos que mais me impressionaram nos últimos anos.

A Police, apesar de impressionar, nunca me motivou a fazer a compra pela necessidade em abrir mão do maior diferencial dela: o banco amortecido. A moto que pude andar era alta, mais alta que a RK Classic e bem mais alta que a RK Custom que já tinha experimentado antes e só mesmo mudando o banco para poder usá-la com segurança.

Já a SG CVO, eu tive a oportunidade de experimentar assim que um amigo a comprou, depois de algumas conversas no Rota (leia aqui). Já na época comentava que seria a primeira opção para o projeto 2015.

A CVO que comprei veio praticamente original, apenas o farol Day Maker, defletores de calor do banco e um extensor do descanso são acessórios nessa moto. Para não dizer que não fiz nada, ajustei a altura da embreagem e os pedais da caixa de marcha. Falta resolver um problema na trava do alforge esquerdo que não está funcionando, mas já vi que foi uma porca que se soltou: coisa simples.

Rodando com ela, estou confirmando as primeiras impressões: muito torque, ótimos freios, o maior peso dificulta as manobras sem auxílio do motor, o morcego vai exigir uma adaptação ou até mesmo uma troca devido a curvatura do windshield original visando diminuir a turbulência, a necessidade de highway pegs e a facilidade na adaptação assim que a moto sai da imobilidade.

A subida da rampa da minha garagem (uma rampa em curva) mostrou mais um detalhe que merece atenção até a completa adaptação: o delay na resposta do acelerador eletrônico. Para quem está acostumado com o acelerador usando cabos de acelerador e retorno, o acelerador eletrônico mostra um pequeno atraso na reação entre girar o punho e a resposta do motor. Isso acabou me dando um susto e exigindo uma "queima" da embreagem na primeira subida.

Apesar de considerar as Softails como a linha mais "user friendly" da HDMC, as Tourings mostram uma pilotagem muito superior, tanto na estabilidade quanto na tomada das curvas. Mesmo assim confesso que ainda falta kms para fazer o mesmo que faço com a minha Fat.

Outro detalhe interessante que passa despercebido em uma Softail é o "mal de Davidson". O motor com balanceiros deixa as Softails neutras enquanto o motor das Tourings permite que a vibração do motor atinja o piloto, principalmente no guidão. Parada, a CVO vibra o guidão visivelmente e andando eu senti uma leve dormência nas mãos, que talvez uma regulagem na altura resolva.

Duas críticas comuns às SGs: as suspensões com pré-carga na mola e o calor dissipado pelo motor 103 ci. Vamos a elas.

A SG CVO não é uma moto desconfortável, mas não é macia. Além de ser mais baixa e ter um banco mais fino, as suspensões copiam bem os desníveis do piso e mesmo assim a moto não chega a dar fim de curso. Será preciso achar a melhor regulagem para o meu uso.

Já a dissipação de calor não incomoda tanto. A SG CVO usa o SE 110 com refrigeração híbrida e por incrível que pareça incomoda muito menos a posição da virilha que a minha Fat. Em compensação, quando a ventoinha do radiador entra em funcionamento, joga bastante calor na altura das canelas e com a presença das perneiras para acomodar o radiador e vaso de expansão a ventilação fica bastante prejudicada pelas perneiras.

Fiz endosso do seguro da Fat (cerca de R$500,00 a mais para os seis meses que faltam e o seguro novo para Fat acabou ficando 60% maior que o seguro que tinha feito no ano passado) e o IPVA é o dobro da IPVA da Fat.

E antes que perguntem, não tenho intenção inicial de vender a Fat, vai seguir na garagem dividindo atenções nessa primeira fase de adaptação e mais tarde vou avaliar a continuidade do projeto segunda moto.




8 comentários:

Wilson Roque disse...

Bem vindo ao mundo das Touring. Tenho certeza que você vai gostar. A Street Glide é uma motocicleta muito bem projetada. Para usar na cidade. Todos os amigos que conheço e que a usaram para viagens longas reclamaram da suspensão. Mas acredito que não será o seu caso, pelo uso padrão que você faz. Bom sorte e excelentes estradas.

Barbados Brotherhood disse...

Aeh Wolf, parabéns pela motoka nova. Muito bruta!!!!!!

Celso Abreu disse...

Parabéns pela aquisição. Acho essa moto linda, bem melhor que o vermelho berrante da CVO 2016 que veio para o Brasil. Acho que as CVO deveriam ter 2 opções de cor.
Abraços.

Mazz disse...

Meus parabéns, já vi essa moto na CC e fiz o ass teste, mais baixa que a ultra, deve ser bem mais ágil de pilotar! Quero ver agora quantos KMs essa danadinha vai bater e as manutenções!
Abs e bons kms!!!!

wolfmann disse...

Comandante, eu pretendo usá-la na estrada também. O que posso comentar é que a moto é dura e copia as imperfeições do piso, mas isso a minha Fat já vem fazendo desde que os amortecedores abriram o bico aos 70.000 kms, tanto é assim que calcei as molas dianteiras, estou usando um fluído mais espesso e regulei os amortecedores traseiros na posição mais dura para evitar o fim de curso, coisa que a Street não faz.

Falta ainda achar a melhor regulagem dos amortecedores traseiros e verificar a "água suja" que chamam de fluído para a suspensão dianteira, mas acredito que será mais confortável que a minha Fat, inclusive em viagens longas.

De toda a forma, para quem usa um Badlander nada assusta.


Celso, concordo com você: tanto na escolha ruim para a pintura 2016 como na linda pintura 2015. A HDMC busca modelos fabricar modelos diferenciados quando aposta nas versões CVO, nas pinturas comemorativas e nas antigas versões SE, tanto é assim que limita o volume de fabricação.


Barbados, coloca bruta nisso. Valeu.

Abraços.

wolfmann disse...

Mazz, a ideia é manter o diário da SG como mantenho o diário da Fat.

Eu levo fé que em breve vou estar nos corredores da Zona Sul aqui do Rio... hehehehehe.

Valeu.

Abraço.

americo faria Ney disse...

parabens pelo cavalo novo,bons ventos
americo ney

Ricardo Garcia disse...

Parabéns, Wolf.
Muito legal, espero que seja o que imaginou, ou melhor.

Em tempo, fiz o teste na Ultra. Mas ainda nada decidido, desta vez irei com muito mais calma.
Um abraço.