domingo, 23 de outubro de 2011

Colours!



Como já foi bastante divulgado, a organização do TWB revogou a diretriz No Colours e o evento não terá qualquer tipo de restrição de vestimenta para entrar.

A diretriz No Colours adotada pela organização do evento gerou um debate bastante forte na web, seja através de comentários em fóruns de proprietários, blogs e até mesmo em grupos de Facebook e Orkut.

A diretriz não era o objeto do debate, mas sim a forma como foi implementada devido as diversas reclamações como foi divulgada (dentro do site do evento em sub-menu que tratava do regulamento).

Como muitos não atentaram para a diretriz por conta de maior visibilidade da mesma, quando souberam que o evento não permitiria uso de cores de moto-clubes e moto-grupos se sentiram enganados e o evento em si diminuiu de importância em face desse debate, que foi muito aumentado após o anúncio da presença da HDMC e de espaço destinado ao HOG.

Mesmo não sendo um moto-clube, o HOG representa uma associação de proprietários e como tal se enquadra na diretriz No Colours, pelo menos é assim que o entendimento da maioria se mostrou e a organização do evento, mostrando bom senso, aboliu a diretriz.

De tudo isso, o que mais me chamou a atenção não foi o uso ou não da diretriz que tem motivação de evitar discriminação entre membros e não membros de clubes e grupos, nem as decisões da organização do TWB: foi a apresentação de um preconceito contra os clubes em geral.

Muitos entenderam que a adoção da diretriz tinha objetivo de evitar brigas ou tumultos entre os clubes (chegando a comparações equivocadas com gangues). Essa idéia precisa ser combatida. Não faço parte de nenhum clube e estou envolvido normalmente com o Chapter RJ do HOG pelos amigos que tenho e mesmo assim me senti ofendido pela comparação. Imagino como se sentiram os colegas de clubes ao lerem isso.

Existem pessoas de todos os tipos em todos os lugares e não seria uma exclusividade dos clubes terem em seus quadros apenas pessoas de má indole ou marginais. Se você encontrar um desafeto, vai reconhecê-lo e estar ou não vestindo um colete não vai impedir uma discussão ou briga.

Do mesmo modo, não conheço pessoas que se guiem de forma mais consistente pelas regras do que membros de moto-clubes, pois eles acolhem as regras do clube como mandamentos de vida. Estar vestindo um colete representando um grupo muitas vezes vai impedir uma briga para não associar seu grupo a um tumulto.

O modo de se vestir ou portar determina o que são as pessoas? Acho que é hora de repensar os códigos de convivência. Ou vamos impedir que se use camisas de clubes de futebol, marcas de fábrica de motocicletas ou de cervejas e assim por diante.

Respeite o seu vizinho para poder ser respeitado. Regra fácil... só lembrar e colocar em prática.

2 comentários:

Wilson Roque disse...

Concordo plenamento com sua opinião e sou contrário a qualquer tipo de preconceito. A decisão dos organizadores foi correta e corrigiu um equívoco.

Leandro disse...

Bem, não sei qual a tradição que foi importada com relação a isso. Acredito que no Brasil não há de nenhuma forma, algum tipo de antipatia entre os MCs, pelo contrário, cada um com sua filosofia porém sempre se respeitando. Já não poderia dizer o mesmo se fosse um evento de futebol...