terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Indian Chief Springfield

A promessa de trazer a Dark Horse ainda não se concretizou, mas a Indian traz para o Brasil seu último lançamento: a Indian Chief Springfield.

Engana-se quem pensar que esse modelo é uma Chief Vintage com alforges rígidos.

A Springfield vem com as suspensões e caster da Chieftain e Roadmaster, podendo ser comparada a grosso modo como uma Chieftain sem morcego.

Eu pretendo experimentar a novidade assim que for possível, até mesmo porque o morcego é um acessório que me interessa pouco, mesmo perdendo o som e possivelmente o GPS.

O Bayer já postou sobre a Springfield e você pode ler aqui.

5 comentários:

luciano Savi disse...

Salve, Wolfmann.
Meu velho, pode indicar uma cera de boa qualidade? Estou morando no nordeste, e não gostaria de lavar a moto com muita frequencia pra nao riscar pintura, já que aqui é Sol forte ano todo. Ouvi falar de 3m paste wax, Drywash Lincon Carnaúba Premium, Meguiars Hi-Tech Yellow Wax,Gold Class Carnuba Plus eNXT Tech Wax 2.0 nos fóruns da vida, mas gostaria de sua abalizada opinião. Abraço!

wolfmann disse...

Luciano, sou o menos indicado para falar sobre a conservação da pintura: normalmente lavo a moto uma ou duas vezes no ano, e no resto do tempo é sol, chuva e poeira.

Os produtos originais HD são muito bons e te sugiro uma pesquisa na internet para saber a composição e buscar um similar nacional.

Em tempo: os produtos dry wash costumam ter excelente qualidade, dispensando a lavagem anterior ao polimento.

abraço

luciano Savi disse...

Meu caro, até quando diz não saber, vc nos dá uma aula. Muito obrigado e abraço!

Celso Abreu disse...

Wolfmann, comprei uma ponteira Customer na Rio Harley e aconselharam manter o filtro original pois se colocar filtro esportivo tipo K&N a mistura ficaria pobre devido à maior entrada de ar, necessitando remapeamento. Já me disseram que colocando ponteiras, troca também o filtro sem remapeamento, e já fiz isso na minha Fatboy 2014. Atualmente tenho uma Road King 2015. Gostaria de saber o que é mais indicado. Grande abraço e Feliz 2017.

wolfmann disse...

Celso, eu usei a Fat durante um ano com ponteira, filtro e backplate SE: Stage I completo. Não dá para ser mais radical sem grandes mudanças mecânicas como comando de válvulas.

Durante esse tempo eu usei a moto sem remapear enquanto me informava e decidia sobre a necessidade do remapeamento e posso te dizer que remapear não é necessário, mas muito recomendado.

Ao trocar ponteira e filtro, adotando um backplate esportivo (eliminando a entrada mínima de ar que a "panela"original proporciona), você altera muito a mistura de ar combustível pois estará possibilitando um maior volume de ar que a injeção teria que compensar e em algumas situações ela não consegue compensar sem um novo mapa de injeção que possibilite uma maior entrada de combustível para compensar.

Ao trocar a ponteira você altera a velocidade da saída dos gases, coisa mais simples de ser compensada pela injeção, mas corre o risco de centelhar sem que a câmara esteja completamente cheia e dispensar combustível pelo escapamento quando a câmara encher após o ponto de centelhamento.

Sei que é uma decisão que costuma ser adiada, mas ao trocar ponteira e filtro, sugiro que use pelo menos um enriquecedor para adequar a mistura a nova quantidade de ar e nova velocidade de saída de gases. Se decidir pelo remapeamento seria melhor ainda, pois o novo mapa te permitirá inclusive ajustar o ponto de centelhamento proporcionando uma queima ideal para as novas condições da motocicleta.