segunda-feira, 9 de novembro de 2015

ecos da tabela 2016 HDMC

A tabela para 2016 já foi divulgada há mais de trinta dias e até agora muita gente (incluindo dealers) custa a acreditar que esses preços serão praticados.

Tenho conversado com muitos colegas e no mês passado muitos achavam que isso não iria ser implementado, mas agora muitos já se conformaram e já pensam em como fazer para trocar a moto zero.

Conversas sobre pressões que os dealers vem fazendo sobre a HDMC também estão diminuindo, dando mostra também que já tratam de pensar em rever estratégias, e talvez metas, para 2016.

Senhores, nada indica que esses preços serão revistos, e apesar das críticas e das previsões sombrias, a HDMC vai realmente implementar a tabela assim que os modelos 2015 em estoque tenham sido vendidos.

A HDMC já prepara a estratégia para que a linha 2016 entre nos dealers ainda em 2015 (os números divulgados este mês pela ABRACICLO mostram indícios disso) e já temos alguns interessados em modelos novos deixando nome com os vendedores.

No mercado de usadas essa tabela também já mostra seus efeitos: os anúncios de particulares estão escasseando e aqueles que ainda anunciam, já fazem pedindo preços maiores para vender suas motos.

Os revendedores de usadas tem aumentado discretamente seus preços e muitos que trabalham em esquema de consignação tem visto o estoque diminuir nas lojas.

Como digo sempre, o mercado vai tratar de regular as demandas. Os vendedores já trabalham com previsões bem inferiores às de 2015 e só teremos alguma novidade se a demanda ficar abaixo dos piores patamares que já estão planejando para 2016. 

Portanto, para quem ainda está pensando se espera para ver algum milagre só posso sugerir o seguinte: compre a 2015 (se achar) agora ou faça como eu e vá se mantendo longe de problemas e carnês em 2016 mantendo sua moto rodando.


4 comentários:

Luis Scapini disse...

Olá senhor wolf tudo bem?

Meus parabéns pelo blog e pelos detalhes das notícias, gostaria de saber uma opinião detalha sobre a aquisição de uma moto em 2016, seria de uma breakout não quero entrar em detalhes de gostos entre outros assuntos o importante é ser feliz, sei que ela desvantagens, porém eu me apaixonei na hora e olhe que era louco por uma forthy eight, ainda mais pelo meu tamanho de 1,78 e com 100 kilos ela representou ser mais confortável mesmo pelo estilo.

Mas voltando ao assunto ela sofrerá grandes mudanças em 2016 e fez até em desistir de pegar ela agora, minha idéia seria esperar até julho e ver como o mercado se comporta, sei que pode não dar em nada de promoções, mas acredita que posso me arrepender? não paro de pensar em valores, a idéia era pegar uma 2015 mas como a elétrica e o motor são velhos eu penso em comprar esta nova devida a alteração, sou novo no mundo das HD, mas estou sendo muito cuidadoso a respeito de qual escolher qual me agradou, e principalmente o bolso, porém quando a paixão bate, homem fica bobo, de forma algum caio nas conversa de vendedores, novamente meus parabéns pelo blog e me desculpe pelo excesso de palavras,

Abraços,
Luis Scapini

wolfmann disse...

Luis, as modificações para 2016 deixam as Softails (Fat Boy, Deluxe, Heritage e Breakout) finalmente atualizadas e vão permitir usar toda a tecnologia que a HDMC projetou para elas: a adoção do crise control (piloto automático) só será possível porque elas estarão usando o acelerador eletrônico (cabos apenas para a embreagem). O ABS recebe uma nova programação que vai deixar a moto mais segura nas frenagens, e finalmente o novo motor TC 103 High Output é a última evolução do TC 103 refrigerado a ar (temos uma outra evolução que traz a refrigeração híbrida nas Tourings) e tem recebido muitos elogios dos proprietários.

Tudo isso já representaria uma modificação muito grande, e além das inovações tevnológicas, a HDMC reprojetou o sistema elétrico a fim de torná-lo mais confiável. Note que os relatos de queixas sobre queima de regulador de voltagem e problemas com baterias ficaram restritos a quem está usando as Softails e Dynas com o motor antigo (TC96). Quem vem usando o motor novo (TC103) não reclama mais sobre esses defeitos, o que reforça o que estou comentando sobre a maior confiabilidade do sistema elétrico no TC103.

Infelizmente para o consumidor brasileiro, isso chega com um reajuste grande, em parte por conta da política cambial e em parte por conta da estratégia da marca em se situar no mercado premium, e deixou muita gente tendo de fazer contas e avaliar se realmente vale a pena gastar tanto.

Eu não posso te dizer o que fazer com o seu dinheiro, mas eu adiaria a compra para comprar uma 2016. Se a Softail Slim estivesse no catálogo 2016, eu já estaria fazendo minhas contas para pegar uma.

E como vê, às vezes não dá para escrever pouco.

Abraço.

Luis Scapini disse...

Muito Obrigado, pelo esclarecimento e claro que estarei colocando tudo no papel e já estou, e particularmente o flake gold gostei e muito.

a respeito da slim já penso vir a modelo com o 110? mas ao meu ver acabo ainda prefirando a breakout claro que a slim em questão de conforto será superior, porém como o estilo acaba impactando muito na decisão o qual o mesmo é pessoal, caso eu ficar esperando que uma moto nova venha para 2017 nunca vou ter uma moto e sempre terei duvidas, pois posso me arrepender muito fácil,

já está plantando semente da duvida na minha cabeça,

Muito obrigado novamente pelo esclarecimento, e também espero que sirva como base para outros leitores do blog, para duvidas em relação a esse tema abordado,

abraços.

Artheus Gladius disse...

Olá Wolfmann,
Bom dia!

Acabo de comprar uma Fat Bob, é um sonho que realizo (acredito que deva ler muito isso).
São tantas as informações e muito o que ainda tenho que aprender mas já posso adiantar que seu blog me ajudou muito.
Esse comentário é apenas um agradecimento de um novo leitor.

Grande abraço.