quarta-feira, 2 de abril de 2014

gasolina e os motores HD

Desde o ano passado a HDMC vem recomendando o uso da gasolina pódium nos seus manuais.

A recomendação é fruto de uma parceria firmada em 2012 no RHD, que premiou com combustível grátis para chegar à Florianopólis, no evento do HOG Rally que aconteceu também em 2012.

Com essa recomendação começaram as perguntas e sempre mantive o meu entendimento que não há necessidade de usar a gasolina de alta octanagem em virtude da baixa compressão dos motores Twin Cam e Evolution. Para os motores Revolution, o panorama é outro: esse motor rende melhor com a gasolina de alta octanagem.

Render melhor não significa ser mais econômico ou ter maior performance. Significa que a queima será mais eficiente e se perderá menos combustível para realizar o trabalho de movimentar pistões e fazer o motor trabalhar melhor. A consequência pode ser tanto uma performance melhor ou maior economia, dependendo de como a moto esteja regulada.

A grande qualidade da gasolina pódium era ser uma gasolina mais limpa, com formulação mais adequada para manter a limpeza do sistema de admissão e queima mais limpa deixando menos resíduos.

Não foi muito divulgado, mas a Petrobrás já comercializa desde 01/01/14 uma gasolina comum mais limpa, com menos enxofre em sua fórmula e como a Petrobrás detém o monopólio da fabricação de combustível no Brasil, toda a gasolina comercializada pelas distribuidoras a partir de 01/01/14 passou a ser uma gasolina mais limpa.

Com esse novo panorama: uma gasolina comum proporcionando uma queima mais limpa, a gasolina pódium perdeu seu atrativo para o uso em motores de baixa compressão como os Twin Cam e Evolution? Essa foi uma pergunta que fiz a alguns colegas engenheiros que trabalham na indústria do petróleo e eles ainda não tem consenso.

O consenso atual é que a poluição tende a diminuir com a menor proporção de enxofre na gasolina atual: baixou de 800 ppm para 50 ppm (ainda bem acima da gasolina européia que tem apenas 10 ppm de Enxofre na fórmula).

No meu uso (mantive a a proporção de três tanques de gasolina comum para cada tanque de pódium e nas vezes - poucas nesse ano - que precisei abastecer na estrada mantive o uso da comum), posso dizer que o consumo melhorou um pouco, conseguindo de 0,5 a 1 km a mais por litro consumido (a média atual da Fat é entre 13,5 e 14 km/l no circuito urbano).

Usando as gasolinas das três grandes distribuidoras (Petrobrás, Ipiranga e Shell) continuo achando a gasolina comum da Ipiranga como sendo a melhor gasolina comum no mercado e a pódium não traz grandes diferenças (noto mais a diferença quando abasteço de pódium após um tanque de gasolina comum da Petrobrás).

Por preconceito não uso gasolina aditivada, seja de que distribuidora for, por achar que a fórmula das aditivadas carrega muito nos detergentes deixando borrachas mais vulneráveis à corrosão, mas li vários elogios à gasolina V-Power da Shell , uma gasolina aditivada (87 octanas) que não tem a octanagem da pódium (95 octanas) ou premium (91 octanas) cuja distribuidora afirma ter sido especialmente formulada para o uso no Brasil.

A gasolina original da Ipiranga tem a mesma octanagem da V-Power, mas fórmula diferente (baseada na fórmula antiga da Texaco) e se adapta muito bem ao motor HD.

Lembrando também que a gasolina comum da Petrobrás tem a mesma octanagem da original da Ipiranga e da V-Power da Shell, mas não tem aditivação alguma, portanto sendo um combustível que não traz melhoria na limpeza do sistema de admissão e todas terão uma queima mais limpa com a adoção da menor proporção de enxofre na gasolina.

Portanto, se eu comprar uma moto mais nova não me prenderei a recomendação que nasceu de uma parceria. Não vi até hoje melhora significativa no calor emitido pelo motor ou economia que se traduza em autonomia com aumento considerável e muito menos melhor performance do motor com o uso de gasolina pódium. Os ganhos são a longo prazo na manutenção do sistema de admissão de combustível e queima de mistura, onde a limpeza se prolonga em relação ao uso apenas de combustível comum.

É escolha pessoal.

4 comentários:

Wilson Roque disse...

Voto com o relator, sem a menor dúvida. Minha experiência nestes últimos 7 anos indica que a gasolina comum das 3 maiores distribuidoras (BR, Ipiranga e Shell) dão excelente resultado. Procuro fazer um tanque de Podium a cada 2-3 de comum, mas não me prendo muito à esta fórmula. Quando minha Ultra anterior completou 40.000km, os bicos foram retirados para inspeção e estavam em ótimo estado. Na Ultra 2014, continuo com o mesmo esquema.

Anônimo disse...

Bom dia
e motos que rodam só de final de semana qual seria a mais recomendada?
Douglas

wolfmann disse...

Douglas use a da sua preferência e confiança, só te recomendo que pare a moto sempre com o tanque cheio: diminui o ar dentro do tanque e com isso diminui a corrosão interna que deixa sujeira e pode vir a te trazer problemas.

andré disse...

Recentemente tive problemas com gasolina comum no carro e moto nos postos da BR e SHELL da Rua do Riachuelo e no BR da reta do Aterro do Flamengo com a Podium na HD. Já soube também que a gasolina comum do BR da Av. Rui Barbosa não está boa. Abs.