quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

paralama faz falta?


Por conta de um acidente estou rodando sem paralama desde terça feira (28/01): a moto estava sem roda e sem paralama em cima do cavalete para corrigir um desvio da canela direita quando, durante um aperto da mesa, caiu do cavalete e o paralama segurou a criança.

Detalhe: paralama recebeu o peso todo e sequer amassou, mas lascou a pintura. Se fosse um paralama de plástico provavelmente estava procurando canelas novas...

Ainda não tinha feito isso, já li e vi vários relatos de customizações bobbers onde o paralama é abolido, mas nada como experimentar.

Posso dizer que você "come" mais sujeira e "bebe" mais água. Tudo sobe e vem no seu rosto.

Mas o que mais me impressionou foi a sutil mudança no comportamento da moto: a moto fica com mais "vontade própria".

Explicando melhor: o paralama compõe a rigidez do sistema de suspensão e direção da Fat Boy, agindo como um Fork Brace.

Sem ele, na frenagem a moto puxa para o lado do disco, reflete mais as imperfeições do asfalto puxando para o lado o buraco e o guidão fica mais "bobo" pela ação do piso andando em reta.

Na entrada da curva, a moto exige uma "negociação" mais suave porque dependendo da inclinação e da qualidade do piso ela pode não corrigir de maneira precisa já que as canelas funcionam independentes.

E quanto mais rápido, mais você sente a falta do paralama.

Ficou a lição: não abra mão do Fork Brace ou do paralama, mesmo que seja cortado.

13 comentários:

Bayer // Old Dog disse...

Bom, pelo menos ficou bonito!

Mas interessante a mudança de comportamento. Pouca gente tem essa sensibilidade, é um belo depoimento.

wolfmann disse...

Como diz o Lord, a diferença está nos detalhes.

Wilson Roque disse...

Não lava a moto; retirou o paralama. Você está ficando muito selvagem. Deveria mudar o nome do blog para Wild Wolfmann!

wolfmann disse...

Vou me regenerar, comandante.... Estou pensando em comprar uma touring para meter a serra na Fat Boy... Hehehehehe

Anônimo disse...

Em algum lugar eu li que pode-se colocar um lenço ou um pano qualquer abraçando as duas canelas. Fazendo isso o spray na cara é bem menor...

Guilherme Guazzelli disse...

Adelino, me tira uma duvida, comprei uma FAT BOY SPECIAL 2014 0km e no documento veio como "HARLEY DAVIDSON/FLSFB" não deveria ser "FLSTFB", não está faltando o "T" no modelo?

Guilherme Guazzelli disse...

Não deveria ser:

F - Válvulas overhead, 74,80 or 88 polegadas cúbicas, "big twin".
L- Pneu frontal largo e forquilhas frontais Hydra-Glide.
ST - Quadro "Softail®".
FB- "Fat Boy®".

wolfmann disse...

inicialmente, parabéns pela compra. Vai sentir um boa diferença na comparação com a XL1200 Custom.

E sim, falta um T no documento. No próprio site Brasil da HDMC você pode confirmar: FLSTF para a Fat Boy e FLSTFB para a Fat Boy Special.

É preciso verificar se a Nota Fiscal foi emitida corretamente antes de pedir retificação do CRLV.

Para efeitos práticos, essa descrição errada pode trazer algum problema na hora de usar o seguro.

Abraço.

wolfmann disse...

inicialmente, parabéns pela compra. Vai sentir um boa diferença na comparação com a XL1200 Custom.

E sim, falta um T no documento. No próprio site Brasil da HDMC você pode confirmar: FLSTF para a Fat Boy e FLSTFB para a Fat Boy Special.

É preciso verificar se a Nota Fiscal foi emitida corretamente antes de pedir retificação do CRLV.

Para efeitos práticos, essa descrição errada pode trazer algum problema na hora de usar o seguro.

Abraço.

Guilherme Guazzelli disse...

Pesquisei e cheguei a simples conclusão. ACREDITE!! A Rio HD e nem a Harley Brasil sabiam desse erro. Isso já tá errado desde de 2012, ou mais (segundo a RHD hj por TEL). O código para o meu chassi e de várias outras FAT BOY SPECIAL está errado, e pior, só aqui no RJ, o que pode acarretar problemas em uma possível transferência de propriedade para outro estado, que não tem esse modelo errado "FLSFB" faltando letra. E sabe o que a Rio HD vai querer? Sem duvida, empurrar isso com a barriga, e daqui a alguns anos quando eu querer vender a moto, ela pode não ser mais considerada uma FAT BOY SPECIAL, pois o código modelo da minha moto não existe e pode ate ser lançado uma futura nova moto com esse código , já que a outra FAT BOY o código é o mesmo, menos a letra “B”. O erro já vez ate aniversário de 2 anos e ninguém percebeu. Mas vou querer a correção disso, o DETRAN me da 30 dias para corrigir sem custo, mas é coisa do sistema e da montadora corrigir. Em relação a nota, a mesma vem apenas o nome fantasia, FAT BOY SPECIAL. O posto do DETRAN tb não teve culpa, pois somente digita o chassi da nota, e o sistema baixa o modelo pré existente para aquele VIN. A RHD disse hj que foi uma surpresa e que conferiu q isso já tá errado desde 2012 pelo menos, jogaram para Harley Brasil. Mais isso é coisa só do RJ.

wolfmann disse...

Tem coisas que só acontecem no Rio. As RKs Polices foram faturadas como RK Classic, o que já acarreta muitos problemas com o DETRAN (RK Classic tem dois lugares e a RK Police apenas um e já começa a aporrinhação) e seguradoras, e tome empurrar a culpa para a HD.

Anônimo disse...

Pessoal, Com relação a Rio HD, a única coisa que eles entendem é quando dói no bolso. Ou seja se não resolverem por meios normais e cordiais. Tem de apelar para a justiça !!!!

Ae sim eles se coçam....

Triste isso.

Abcs
Alex63

Anônimo disse...

pesquisei o assunto e fui verificar na minha Nota fiscal e ela esta correta FLSTFB. Porém no DOC esta FLSFB também falta o T . Só que no meu caso o erro é do DETRAN RJ. Vou pedir retificação.

abcs
Alex63