domingo, 19 de maio de 2013

F.T.F. está virando "modinha"

F.T.F. é um movimento contrário às estratégias da HDMC que associam a motocicleta a um estilo de vida, onde a maior preocupação é conquistar novos clientes com a ideia de que tudo pode ser esquecido com um fim de semana viajando com sua HD.

Como marketing de pré-venda funciona muito bem, mas quando o cliente tem a necessidade do pós-venda, a coisa muda muito de figura. Basta ler os vários relatos de problemas nas revisões de entrega ou no acionamento da garantia.

Eu já fiz post em maio do ano passado sobre o assunto quando fui cobrado por alguns leitores sobre uma "mudança de posição" ao expor opiniões sobre os diversos problemas na retomada do controle da operação brasileira pela matriz americana (http://wolfmann-hd.blogspot.com.br/2012/05/ftf.html).

O que mudou daquela data para os dias de hoje: praticamente nada. O panorama do pós-venda continuar praticamente o mesmo e o empenho na venda do HD life style está cada vez maior, basta ver os itens que são encontrados nos dealers e os eventos organizados de forma amadora que vem sendo realizados.

Em compensação, virou moda reclamar com base no relato "do irmão de um primo do meu amigo que saiu com a irmã do dono da loja", ou seja, reclamar somente por reclamar.

Reclamar é direito do consumidor consciente, que deve exigir os seus direitos na relação de consumo. E esse consumidor deve reclamar a quem vá fazer diferença para exercer esse direito: o dealer, o gerente, o chefe da oficina, o SAC e por fim a justiça.

Não vejo coerência em reclamar do tratamento da fábrica e continuar usando a moto. Em algum momento esse consumidor vai ter de lidar com a fábrica para resolver um problema.

Do mesmo modo, não vejo coerência no cliente que, apesar de saber de todos os problemas com a garantia, insiste em comprar a moto zero e reclama do preço da revisão, do serviço que sequer foi feito ainda e do preço que vai pagar. Quando comprou já conhecia o cenário e mesmo assim se decidiu por enfrentar o problema.

A única conclusão que chego com tudo isso é que a nova "modinha" é fingir ser "malvadão" falando mal da fábrica, do dealer e do HOG para poder viver o "sonho easy rider" durante o fim de semana e voltar a usar o terno durante a semana sem culpa.

3 comentários:

Flávio disse...

Com certeza já virou moda. Falam mal e vivem levando a moto no dealer para trocar óleo..
Mas na minha opinião, pior que o pos-venda dos dealers brasileiros, é essa política da HD de proibir a venda de peças e assessórios dos dealers americanos para o exterior. Isso sim é sacanagem conosco...

wolfmann disse...

Concordo com você. Esse é o pior aspecto na política de vendas da HDMC: fazer proteção ao dealer local, mas não é exclusivo para o mercado brasileiro.

Estão levando essa prática ao mundo inteiro.

Bayer - Old Dog disse...

Pena que no nosso caso a proteção do dealer local mais parece com abuso de poder econômico.

Tudo é mais caro, com prazos mais longos, acima do que o custo Brasil explicaria.

Nesse ponto, ainda estamos no tempo da Izzo... Mas como você mesmo citou, eu já sabia no que estava me metendo por isso não posso reclamar.

Nas duas Harleys que tive, um dos primeiros "acessórios" que comprei, foi o manual de serviço para continuar fazendo boa parte da manutenção sozinho, hehehehe.