quarta-feira, 4 de abril de 2012

Para quem roda nas grandes cidades

Quando acontece um acidente no trânsito, via de regra temos a aglomeração de curiosos e quando é uma moto o quadro piora muito pois vários motoqueiros e/ou motociclistas (como quiserem) param para ajudar ou tentar proteger o colega caído.


A postagem do Bayer no blog dele (old dogs) vale a pena ser replicada para que todos comecem a pensar (http://www.olddogcycles.com/2012/04/muito-ajuda-quem-nao-atrapalha.html)




Hoje, mais uma vez, havia um colega motoqueiro acidentado na Marginal Pinheiros, umas das principais vias da cidade de São Paulo.

Como é de praxe, rapidamente o local estava cercado com dezenas de outras
motos. Três, das quatro faixas da via, foram bloqueadas por motos estacionadas,
sendo que a última não estava totalmente livre, o que obrigava os motoristas a
passarem muito lentamente por ela, em pleno horário de pico da cidade.
Motoristas chegaram a levar mais de 30 minutos para percorrer apenas 500
metros.

Se você é um dos motoqueiros que parou para ver esse acidente, travando o
trânsito porque, na sua cabeça, quando um colega está caído você tem o direito
de fazer isso, um lembrete:A PORR@ DO RESGATE TAMBÉM NÃO CONSEGUIA CHEGAR POR CAUSA DO TRÂNSITO QUE VOCÊS CAUSARAM.


Se sou eu caído, a última coisa que eu iria querer é uma multidão parando o
trânsito e atrapalhando a minha remoção.

Em um acidente, cada minuto sem primeiros socorros diminui a chance de
sobrevivência ou recuperação do acidentado.


Não é a toa que muitas vezes o Águia da PM é obrigado a pousar no meio da
Marginal para remover alguém.

E o que é pior: muitos estavam conversando, tirando fotos no celular,
rindo.

Do que isso adianta pro colega caído? Do que isso adianta para a cidade
inteira?

A mesma coisa acontece quando uma ambulância precisa passar pela Marginal.
Alguns motoqueiros ficam nervosos, já que a moto é bem mais ágil que a
ambulância, e começam a cortar pelas faixas da direita.

E daí? Simples. O trânsito que eles causam bloqueando os corredores da
direita, é justamente o espaço que os motoristas usam para permitirem a passagem
da ambulância. Aliás, essa mesma ambulância pode estar indo socorrer um colega
caído.

Muitas pessoas dizem que isso é falta de educação, mas elas estão
enganadas. Em ambas as cenas, você encontra de CGs caindo aos pedaços a motos
importadas, de trabalhadores sofridos a executivos.

Isso não é uma questão de educação, é uma questão de bom senso.

É parar 5 minutos para pensar nos outros, ao invés de só pensar em você ou
no oba-oba ao seu redor.

Talvez ninguém leia esse texto, talvez ninguém se importe. Mas se pelo
menos um colega motoqueiro ler isso, ou mostrar para alguém que age dessa forma,
e essa única pessoa mudar seu jeito de agir, eu já vou me sentir realizado.

Eu realmente acredito que as coisas só vão melhorar no Brasil, quando as
pessoas começarem a melhorar o seu jeito de ser também.

2 comentários:

// Bayer disse...

Obrigado, Wolfmann!

César Leitão disse...

Wolfmann, descobri seu blog a quase 1 ano quando comprei minha primeira Harley, este é meu primeiro comentário. Parabens, opiniões sempre perfeitas e baseadas em informações importantes. Falou tudo. Obrigado e um abraço