quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

RKS na garagem




Recebi sábado passado a Road King Special. Ela está tomando o lugar da Street Glide CVO que vendi no ano passado.

A primeira impressão foi muito boa, com uma qualidade que estava sentindo falta: vento no peito.

O percurso da Rio HD até em casa não apresenta muitas oportunidades para fazer comparações entre as duas motos pois usa a Av. das Américas e a Auto Estrada Lagoa-Barra. O piso é bom e praticamente é uma linha reta.

A ergonomia da RKS é boa, provavelmente vou ajustar o guidão, trazendo para uma posição mais baixa, e as suspensões resolvem bem as ondulações de piso.

Embora as duas motos usem as mesmas rodas e suspensões (dianteira com tubos de 49mm de diâmetro e traseira com pré-carga na mola e 20 regulagens), a RKS parece melhor resolvida para as imperfeições do piso.

Quem acompanha lembra que uma das primeiras providências quando iniciei o uso da CVO foi a troca de fluído da suspensão dianteira e a busca da melhor regulagem na traseira.

Confesso que esperava o mesmo da RKS, mas no piso da Av. das Américas a moto se comportou bem, sem dar fim de curso em nenhum momento, e não fiz qualquer alteração na regulagem que foi entregue. Resta saber se ela vai se comportar do mesmo modo em pisos mais castigados como o da Tijuca.

O motor M8 107 é um ponto alto da moto: entrega torque desde as rotações mais baixas e tem marcha lenta em temperatura de serviço na casa dos 800 rpms, bem diferente da CVO que sempre manteve a marcha lenta na casa dos 1000 rpms.

Como é um motor balanceado, o M8 vibra menos que o TC110 e parece dissipar menos calor, mas não enfrentei nenhuma situação de trânsito pesado para avaliar melhor.

Andando com a RKS, a moto se mostra bem mais "manobrável" que a CVO e bem mais leve de manobrar sem o apoio do motor.

A entrega ocorreu em um sábado e marquei perto da hora do almoço para evitar o horário de maior público (café da manhã e saída do trem do HOG). A moto foi entregue limpa, o vendedor, Marcelinho, explicou o funcionamento e entregou a documentação.

O HOG já enviou correspondência eletrônica informando que a minha anuidade foi renovada para 2018.

Agora é rodar mais para ver o que a RKS tem a oferecer, mas isso vai ficar para depois do carnaval porque já tenho viagem marcada com a família.


4 comentários:

Alexandre disse...

Linda moto, Parabéns ! E que ela lhe traga só coisas boas.

Anônimo disse...

Parabéns pela moto. Tenho uma 2017. Essa aí mudou bastante

José Ricardo Pettine disse...

Achei muito bonita essa moto, mas to na duvida de trocar a minha classic por essa. A bolha faz uma diferença grande na estrada e tenho 1,90 altura a classic é mais alta. Não sei to na duvida.

wolfmann disse...

José Ricardo, o fato de não ter bolha ou cromados foi o que mais influenciou na minha decisão de comprar a RKS: eu não gosto do wind shield, por mais que seja um ítem de conforto em grandes viagens.

A diferença de altura entre as motos não é tão relevante para o seu tamanho pois a ergonomia continua favorecendo pilotos mais altos.

Sobre a moto o que posso te dizer que o aro 19 na dianteira faz diferença na pilotagem.

Faça um test ride na RKS e compare com a sua classic: eu tenho um amigo que não se adaptou a Classic e se sentiu bem a vontade na Special.