quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

ecos das postagens sobre o combustível E-27 e a recomendação para uso de Pódium ou Premium

Acatando uma sugestão do Bayer no Old Dog, vou reproduzir um comentário feito por mim na postagem que ele fez por lá (http://olddogcycles.com/2015/02/como-ficam-as-harleys-com-275-de-alcool-na-gasolina.html):

Senhores, não são apenas “mais 2%” porque os efeitos não são lineares, mais sim exponenciais.
Quanto mais longe da mistura E-10 (10% de álcool) maiores os efeitos da corrosão e em menor tempo.
Desde 2006 eu já troquei as mangueiras internas da minha Fat quatro vezes sendo, por coincidência ou não, duas vezes após o aumento da mistura álcool/gasolina de 22% e mais uma vez após a aumento de 22 para 25%. Dizer que apenas “mais 2%” não vai mudar muita coisa, mas para a minha moto já serão 4 anos de corrosão que terá um agente agressivo ainda maior por sabe-se lá quanto tempo.
Hoje em dia estou usando mangueiras automotivas, fabricadas para veículos flex, para tentar uma vida útil mais longa.
Não encontrei substitutos para filtro de gasolina (que forma uma goma com essa mistura de álcool e gasolina e entope a passagem) e nem para o regulador de pressão que formam conjunto com a bomba de gasolina (ou seria alcoolina), mas estou pesquisando.
Acredito que consigo melhorar muito a confiabilidade do sistema de admissão se conseguir substitutos projetados para carros flex, mas câmara de combustão, cabeçote, válvulas e velas estarão sempre em risco com essa mistura de menor poder calorífico (queima menos eficiente) e maior poder de explosão (explosão acontecendo antes ou depois do PME).
Não vou arriscar além dos 25% enquanto houver opção.
E fica o alerta para quem ainda está com a moto em garantia ou pretende comprar moto zero: a recomendação do fabricante vai ser motivo para invalidar a garantia se for comprovado o uso de combustível com índice de álcool acima do recomendado: será classificado como mau uso e quero ver algum Juizado Especial invalidar essa decisão.
Devido a esse comentário, recebi mensagens via Facebook e via e-mail me chamando de alarmista pelo mais educado.

A realidade é que ninguém precisa seguir a recomendação feita de não usar o combustível E-27, eu pretendo seguir, como disse no comentário.

O combustível indicado para os motores HD Twin Cam e Evolution continua sendo o combustível de baixa octanagem, apesar da indicação que vem sendo feita nos manuais das motos zero para usar somente Pódium (essa recomendação é fruto de parceria comercial e não vale a pena ser comentada).

O problema será a durabilidade dos componentes, seja pelo contato com um combustível ainda mais agressivo ou seja pela queima de um combustível com ainda menos poder calorífico.

Entre as mensagens que recebi vieram algumas consultas sobre o processo de separação do álcool no nosso combustível a fim de usar somente gasolina. É possível? Sim é possível, mas o resultado não será uma gasolina melhor.

O processo de separação consiste em adicionar solução de cloreto de sódio para que o álcool reaja quimicamente com a água e forme uma camada separada da gasolina. No tanque peanut da Sporster 48 que tem capacidade de apenas 8 litros, você exigir igual quantidade de solução de cloreto de sódio a ser misturada e agitada e aguardar a separação das camadas. Vamos convir que agitar um tanque de 16 litros para ter 8 litros de gasolina vai exigir esforço ou uma máquina capaz de fazer o procedimento.

Admitindo que esse procedimento seja feito, ainda assim o resultado vai ser um combustível de octanagem inferior ao combustível que serve como origem para a separação porque o álcool interfere nas características do combustível, inclusive aumentando a octanagem da gasolina que serve de base para a mistura do combustível E-27.

Resumo da ópera: mesmo que você separe o álcool da mistura E-27, a gasolina resultante será inferior e poderá produzir resultados indesejados durante a queima na câmara de combustão, sem falar no trabalho para obter essa gasolina a ser feito cada vez que quiser abastecer sua moto.

Como já postou o Roque no final da postagem de hoje (http://wilsonroque.blogspot.com.br/2015/02/harley-davidson-qual-gasolina-usar.html): "se correr o bicho pega e se ficar o bicho come".

Aos colegas "bad ass motherfucker" que acham bobagem essa discussão e vão continuar abastecendo com gasolina de baixa octanagem E-27, por favor, enviem seus relatos sobre como as motos estão se comportando e, principalmente, o que estão encontrando quando fizerem as manutenções preventivas (se é que fazem e não acham que isso seja dispensável também).

Desde já agradeço as colaborações.


7 comentários:

Wilson Roque disse...

Wolfmann, a gente compartilha conhecimentos e o resultado de pesquisas. Ninguém deve se sentir ameaçado por isto. Se achar que a gasolina com 27% não vai ocasionar nenhum problema, que continue usando. Por enquanto, e enfatizo o "por enquanto", ainda estamos numa democracia.

wolfmann disse...

Concordo com você, Roque. Cada um sabe onde aperta o sapato.

Birigui Nilson disse...

Muitos que falam que você está louco é porque na verdade são aqueles motoristas de carro que para no posto e pede para abastecer e só nem sabe que existe água, óleo, calibragem de pneu e outros pequenos detalhes kkkkkkkkk.
Deixa eles falando, e tenha certeza que suas palavras ajudaram e muito o intendimento das pessoas que mesmo sem o conhecimento técnico teve a iniciativa de após ler seus comentários pesquisar um pouco e agregar mais conhecimento na vida.
Parabéns pela iniciativa!!!

Mazz disse...

Pois eh, o povo fala qql coisa pra amenizar a consciência...

Exite uma lista de peças feitas para carros flex que se adaptem nas HDs?

Abs,

Mazz

wolfmann disse...

Precisa pesquisar: os bicos injetores do Santana à álcool servem nos TC 88, as mangueiras do tanque do Audi servem no meu sistema de combustível (precisa ajustar o tamanho), o'rimos de vedação tem vários tamanhos, a bomba de comustível da Blazer (AC Delco) funciona no sistema do TC 88.

Tudo pesquisa de balcão levando a peça é pedindo uma igual... Só não comente que é para HD.

Roberto Perini disse...

Nesse caso a instalação do Redline não agrava o problema, por aumento da exposição da cabeça do cilindro ao álcool. Vale a pena enriquecer a mistura?

wolfmann disse...

Não sei te responder. Ao enriquecer a mistura você vai aumentar as partes de combustível em relação ao ar e consequentemente traz mais álcool nesse combustível, mas vai melhorar a queima dessa mistura por ter mais gasolina do que a relação original.

Existe um ponto ótimo para a mistura considerando a presença do alcool, mas os enriquecedores de maneira geral não conseguem compensar corretamente a maior ou menor presença do álcool, apenas aumentam ou diminuem a quantidade de combustível.

Com as interfaces você tem mais recursos: eu tropicalizo a mistura compensando a maior ou menor presença de álcool aumentando ou diminuindo a eficiência volumétrica da câmara de combustão, mas mesmo assim estou lançando mais combustível na câmara e em consequencia mais álcool.

Até hoje esse aumento da quantidade de álcool não trouxe prejuízo ao cilindro, mas com certeza estou acelerando desgaste.

Sobre a questão de enriquecer a mistura, sempre vale a pena. A mistura stock é muito pobre e o desgaste pelo calor dissipado é tão ou mais prejudicial que o desgaste pela corrosão.