sábado, 2 de abril de 2011

grupo grande x grupo pequeno

Os passeios curtos e em grupos menores confirmam a minha crença de que os trens muito grandes necessitam de mais segurança.

Rodar com um trem acima de dez motos apenas com capitão de estrada e cerra fila implica na necessidade de haver mais veteranos do que calouros compondo o grupo.

No passeio deste sábado fomos em grupo de quatro, três veteranos: eu, Monge e Melodia e um calouro, o Oliver, que fazia a estréia em estrada. Viagem transcorreu bem, o Oliver se sentiu a vontade no grupo e o grupo não sentiu a presença de um calouro.

Por que isso acontece? Porque o Oliver seguiu a teoria do Group Riding (mesmo sem nunca ter feito o Rider´s Program) e o grupo respeitou a pouca (no caso nenhuma) experiência do calouro. E não tivemos uma subida muito fácil: estrada movimentada, vários caminhões e muitos trechos molhados.

Já na última viagem do HOG RJ tivemos um acidente que o capitão de estrada só ficou sabendo no destino porque o trem era grande (cerca de 25 motos) e composto basicamente por calouros que pouca ou nenhuma experiência tinham.

É preciso conscientizar os colegas que se iniciam da importância em conhecer e seguir as regras do Group Riding para que tenhamos um trem mais seguro (pelo menos em teoria) ou teremos cada vez menos veteranos nos trens do HOG.

Eu prefiro seguir com um trem formado por pessoas com quem tenho mais afinidade e encontrar o HOG RJ no destino do que estar exposto a um acidente por falta de informação e/ou experiência. E hoje, com a setorização dos PHDs, a formação de grupos menores dentro do Chapter parece ser uma realidade. A convivência forma afinidades e provoca deserções no trem do HOG, muitas vezes criando destinos alternativos para alguns passeios sem muita adesão.

E apesar dessa constatação da preferência dos veteranos pelos grupos menores e mais homogenêos, nota-se que todos estão engajados no sucesso do Chapter RJ, pois se não fosse assim o Chapter não estaria funcionando e cumprindo sua missão mesmo sem o apoio formal da HDMC através do seu dealer.

Um comentário:

Wilson Roque disse...

Pelas obsrvações que faço e pelos relatos que leio, considero o HOG Chapter RJ o melhor do Brasil. Claro, não há HOG em Santa Catarina e o mais próximo, que era em Curitiba, não conseguia atrair muitos harleyros daqui. O bom é que, apesar de nenhum apoio oficial da H-D ou de seu concessionário, os harleyros de SC e do Paraná construíram uma relação muito boa, que produz passeios de mais de 70 motocicletas.