domingo, 8 de novembro de 2009

HD Brasil muda política de vendas

O Motonline (www.motonline.com.br) conseguiu uma façanha e entrevistou o presidente do Grupo Izzo, Paulo Izzo, no Salão Duas Rodas em outubro passado (http://www.motonline.com.br/colunistas/negocios/bartho/paulo-izzo22out09.html).

Considero uma façanha porque o presidente do Grupo Izzo é tradicionalmente avesso à entrevistas e não custa dar uma olhada na matéria.

Da leitura da entrevista, verificamos que a intenção do Grupo Izzo é popularizar a marca HD no Brasil, dando acesso, através de promoções e financiamentos, à consumidores que ainda viam a HD como sonho de consumo longínquo.

Acredito que essa política de preços vai trazer mais concorrência no mercado de custons, fortalecer a marca, mas (e sempre tem um "mas") me causa preocupação por conta da deficiência tradicional das revendas HDs no Brasil no setor de pós-venda.

Se hoje em dia já temos dificuldades com atendimento em manutenção preventiva, peças comuns como lubrificantes e filtros e peças menos procuradas que vem dando problemas como os rolamentos de roda, como podemos esperar que as oficinas autorizadas possam vir a prestar bom atendimento com o aumento do número de HDs rodando ainda dentro do período de garantia?

E não falo dos serviços menos essenciais como colocação de acessórios para personalizar a motocicleta ou das motocicletas que saem do período de garantia e que passam a ser atendidas por oficinas especializadas independentes.

Espero que essa política de incremento de vendas esteja sendo acompanhada por uma política de melhora no atendimento aos consumidores em serviços de oficina e venda/colocação de acessórios, porque senão essa política se transformará em mais uma dor de cabeça para os proprietários das HDs. Para o representante oficial essa nunca foi a preocupação, haja visto os problemas recorrentes do dia a dia e as iniciativas que vem sendo tomadas pelos proprietários de HDs em procurarem a via judicial para resolver problemas de relacionamento decorrentes do setor de pós-venda do representante oficial no Brasil da HD.

2 comentários:

Wilson Roque disse...

Infelizmente não vejo melhorias no pós-venda das concessionárias HD no Brasil, enquanto continuarem sob o monopólio do Grupo Izzo. Simplesmente não dão a mínima para o consumidor.
Vão vender mais motos, mas o atendimento continuará o mesmo. Isto é excelente notícia para as oficinas especializadas que, felizmente para nós, PHDs, já são em número suficiente para dar-nos o atendimento que o Grupo Izzo tanto carece.

wolfmann disse...

Compartilho da sua opinião e essa é uma bandeira que defendo: não adianta vender se não puder oferecer um bom serviço de pós-venda.
Essa carência abre espaço para os empreendedores que aproveitam essa falha do revendedor autorizado.