segunda-feira, 29 de junho de 2009

Pastilhas de freio

Sempre se fala da durabilidade das pastilhas e do momento de trocar as ditas cujas. Esse intervalo depende muito do uso da motocicleta e do piloto. Dou um exemplo: a recomendação de frenagem com 70% usando o freio dianteiro e 30% usando o freio traseiro funciona muito bem em circuitos onde você trafega em velocidade acima de 60 km/h. Essa equalização não funciona quando você está trafegando no corredor ou em baixa velocidade.

O uso da motocicleta em baixa velocidade, principalmente as customs, exige demais dos freios traseiros e praticamente você acaba freando apenas com o freio traseiro.

Já as esportivas, que trafegam a maior parte do tempo em altíssimas velocidades praticamente esquecem do freio traseiro, usando apenas o freio dianteiro.

Dentro das características do meu uso (urbano em mais da metade do tempo, talvez mais de dois terços do tempo), eu gasto de um a dois jogos de pastilha de freio traseiro para cada jogo de pastilha de freio dianteiro. Fazendo trocas de pastilhas traseiras entre 8000 e 12000 kms rodados e pastilhas dianteiras a cada 16000 kms rodados.

Mas não é só o uso que determina o desgaste. A composição da pastilha também é determinante para a durabilidade das pastilhas. As pastilhas originais Harley Davidson são metálicas e sofrem muitas queixas sobre a atuação na frenagem. Eu venho usando as originais sem grandes sustos, mas já sei que as HDs tem a característica de frearem quando desejam frear... por isso tomo cuidado.

Meu amigo Rômulo Provetti, colega de fórum nos biduzidos (www.biduzidos.com.br) postou um artigo retirado do site da Honda trazendo informações sobre a composição das pastilhas de freio e decidi postá-lo para os leitores terem maiores subsídios na hora da compra das pastilhas.


Achei na internet informações sobre os tipos de pastilhas

Orgânica, semi-metálica, metálica, sinterizada ou carbono – São tipos de materiais usados na pastilha de freio. Cada um tem diferentes características que afetam o coeficiente de atrito, a durabilidade da pastilha e do disco de freio, assim como o barulho e o pó gerados na frenagem, entre outros. Ao escolher o melhor material para o seu uso considere, além do aspecto técnico, a qualidade e a garantia oferecidas pelo fabricante e revendedor – peças de melhor qualidade lhe trarão economia no médio e longo prazo, além de maior prazer ao pilotar sua moto. A seguir temos uma visão geral de cada tipo, levando em conta apenas o material construtivo e a tendência de resultado final.

Orgânica – Feitas a base de celulose e resina fenólica. Antigamente se utilizava asbesto (amianto) para melhorar as propriedades em altas temperaturas, mas atualmente esse material está proibido por ser cancerígeno. Tem um razoável coeficiente de atrito sob baixos esforços e baixas temperaturas de operação. Desgastam pouco o disco de freio, são baratas e quase não produzem barulho. Por outro lado desgastam-se mais rápido e se degeneram sob alta temperatura (vitrificam). São mais indicadas para uso urbano, sem compromisso com alto desempenho e em motos de pequena cilindrada. São as mais comuns no mercado paralelo.

Semi-Metálica (ou ‘organometálica’) – Estas pastilhas tem, tipicamente, latão, ferro e/ou alumínio adicionados em diferentes proporções à resina, de forma à incrementar suas características em altas temperaturas e a resistência mecânica do composto. São pastilhas excelentes para o uso no dia-a-dia de motos médias (250 a 600 cc.). Em relação às orgânicas, tem um custo pouca coisa superior – largamente compensado pela maior durabilidade, eficiência e sensibilidade. Geram pouco ou nenhum desgaste adicional no disco de freio, mas são mais ruidosas que estas. Ao final, suas qualidades estão tornando-as padrão no uso diário em motos na faixa de 250 a 600 cc. e até em motos maiores (como as Harley-Davidson) - neste caso para as usadas esporadicamente. A maioria das motos médias saem de fábrica com este tipo de pastilha.

Metálica (também ‘organometálica’) – São parentes próximas das semi-metálicas. Levam uma carga maior de pó metálico para se adequarem às exigências de uso das motos de maior cilindrada (acima de 600cc.), mantendo os mesmos benefícios e qualidades. Praticamente todas as motos modernas dessa faixa de cilindrada utilizam originalmente pastilhas metálicas. Assim como as semi-metálicas, estas tem longa vida útil e trazem ao motociclista frenagens mais progressivas e consistentes.

Sinterizada – Estas pastilhas são feitas de uma mistura de metais em pó, tipicamente alumínio, bronze, cobre, ferro e cerâmicas - estes últimos voltados para altas temperaturas, moldada em alta temperatura e pressão de forma que torna-se um bloco sólido e homogêneo. Podem ser formuladas para funcionarem melhor a baixas, médias ou altas temperaturas, porém usualmente tem comportamento apenas mediano quando frias. Também dependendo de sua composição podem ser mais ou menos agressivas ao disco. É a tendência da indústria motociclística de alto desempenho e já são uma realidade nas pistas de corrida.

S-Sinter – Estas pastilhas, exclusividade da Fischer, são produzidas por um processo especial que lhes dão as boas características das pastilhas sinterizadas para uso no off-road (resistência ao desgaste e ótimo comportamento operando molhada) sem as principais limitações das sinterizadas: acelerado desgaste do disco de freio, demora no aquecimento e preço elevado. Ao contrário, trabalha bem desde fria e é menos agressiva ao disco de freio que uma sinterizada de desempenho equivalente. Já são amplamente usada pelas melhores equipes brasileiras de enduro, rally e motocross com excelentes resultados.

Rômulo - http://provetti.blogspot.com

http://hondacbrbrasil.forumativo.com/tutoriais-dicas-etc-f13/tipos-de-pastilhas-de-freio-t163.htm

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Tiradentes Bike Fest

Para quem ainda não foi para Tiradentes por falta de incentivo, vale novamente o convite para seguir com o HOG RJ. Partem sábado às 7h30 do Parque dos Patins, com qualquer tempo de acordo com o Rodolfo.

O evento vale a pena e acompanhe mais esta iniciativa da diretoria do HOG RJ em participar dos eventos motociclísticos.

Não se esqueça que a saída será pontual, portanto chegue cedo e participe do Briefing.

Um pouco da história desse tradicional evento motociclístico que está intimamente ligado à Harley Davidson no Brasil:

Em 1991, amigos de estrada, que simplesmente viajavam entre cidades para se encontrarem em finais de semanas, de motoclubes como, Águias de Aço de BH, Cariocas, Balaios, Águias de Ouro todos do Rio, Ninhos das Águias e Lobos de SP e também muitos ‘harleyros’ tradicionais como Berg, Cap. Senrra, Mário Manela, Guto, Dentinho, Décio, Piscinin, Nara, Mister, Amaral, Dadinho, Pateta, Luizão, Samy, e muitos outros amigos.

Foi neste ano, em 1991, que Mario Manela, junto com o pessoal reunido, sugeriu que os motociclistas ali presentes deveriam manter a tradição de se reunirem anualmente na região de São João Del Rei, pois o clima de inverno e a região central proporcionava para quem vinha do RJ, SP e BH uma viagem muito agradável.

Foram várias sugestões em termos de local para a reunião de 1992, sendo a preferência por uma cidade pequena, tranqüila, de clima frio e pessoal amigo, a charmosa “Tiradentes”.

Com o apoio do então Prefeito Pinto, o povo de Tiradentes, alguns restaurantes e a divulgação de Mário Manela e Berg, encontraram-se então no último final de semana de Junho de 1992 na cidade de Tiradentes cerca de 35 motociclistas, amigos e apaixonados pela marca Harley-Davidson.

Foi uma reunião de amigos, descontraída, alegre e, sobretudo de grande inspiração, porque dali foi firmado o compromisso de se tornar em um encontro de motos Harley Davidson a partir do próximo ano.

Organizado por Berg em Junho de 1993, Tiradentes já havia recebido mais de 200 motociclistas no primeiro Festival “Harley Davidson”. Que por força de patente registrada, posteriormente tornou-se “Festival de Motos Clássicas de Tiradentes”.

Naquela época a estrutura de hospedagem e alimentação quase não foi suficiente para tanta gente, pois a turma comeu e bebeu tudo que havia na cidade, e foi sem dúvida uma grande festa digna do início, do que representa hoje para o motociclismo e para a região.

Hoje se encontram anualmente cerca de dez mil motociclistas e um público flutuante de vinte e cinco mil pessoas dia. Além de dezenas de expositores no ramo de acessórios, vestuários, peças, pneus, empresas de customização, pinturas, tatuagem, revendas de motocicletas e mais uma infinidade de atrações para motociclistas, com shows musicais, exposição de motocicletas antigas, customizadas, exóticas e principalmente a harmonia entre os participantes que fizeram de um simples encontro entre amigos, o mais clássico e um dos mais importantes encontro motos do Brasil.


Previsão para amanhã:
PREVISÃO DO TEMPO
FONTE: www.climatempo.com.br
RIO DE JANEIRO
Sábado, 27/06
Chuvoso durante o dia e à noite.

Domingo, 28/06
Chuvoso durante o dia e à noite.

TIRADENTES
Sábado, 27/06
Chuvoso durante o dia e à noite.

Domingo, 28/06
Chuvoso durante o dia e à noite.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Tiradentes Bike Fest

Ontem começou o Tiradentes Bike Fest em Tiradentes - MG. Evento tradicional e com muitas atrações. O pessoal do Rio começa a se movimentar em direção às Geraes e o HOG RJ vai para lá no sábado (saída às 7h30 do parque dos Patins) para retornar no domingo.

As noites de sexta e sábado costumam ser muito animadas e mesmo com a previsão de chuva (que já começou a cair no Rio na parte da tarde de hoje) vale a pena a viagem.

O Rodolfo, diretor do Chapter RJ, enviou e-mail convidando a todos os colegas para participarem, mas aviso que as acomodações serão difícies para quem não fez reservas, pois até em São João del Rey já não se encontram muitas vagas.

Segue integra do e-mail e atenção que a partida será pontual e com qualquer tempo.


Pessoal,

O bate-e-volta para Petrópolis foi um verdadeiro sucesso! Fizemos um trem de quase 70 motos!!!

O dia estava perfeito, com céu azul e temperatura amena e o restaurante Nas Núvens foi um verdadeiro show de visual. Estávamos literalmente nas nuvens. Agradecemos à dupla Taty e Digão que arrebentaram no rock´n roll tornando o dia muitíssimo agradável!!!

Obrigado a todos os amigos que compareceram!

E neste fim de semana temos o bate-e-fica para um dos melhores encontros de motos do Brasil, o Tiradentes Bike Fest. Preparem-se! Estaremos saindo do parque dos patins pontualmente às 7:30h com qualquer clima.

E verifiquem regularmente o BLHOG (http://www.blhog.blogger.com.br/) para a programação, fotos dos eventos e deixar seu comentário.

Forte abraço a todos!!!

Alexandre, Marcelo e Rodolfo
Diretoria HOG Rio

TIRADENTES BIKE FEST
http://www.grupoberg.com.br
A partir do dia 24/06/2009 inicia-se o tradicional evento, o Bikefest Tiradentes. Motociclistas de todas as partes do Brasil sairão com destino a Minas Gerais, seguidos dos roncos dos motores de suas motos e da vontade de sentir a sensação de liberdade que os espera.
Por quatro dias seguidos, Tiradentes irá sediar a união do mais tradicional encontro de motos do Brasil. São 17 anos de pura tradição levados a um crescimento de apenas 30 apaixonados por motocicletas Harley-Davidson a um público atual de 25.000 pessoas com suas motos de diferentes marcas e modelos.
O evento acontece em três praças, uma ao lado da outra, reunindo cerca de 10.000 motocicletas, 35 estandes de expositores, rodeado por mais de 50 estabelecimentos entre restaurantes e bares, e mais de 200 meios de hospedagens, gerando quase 5.000 acomodações em toda região. Tudo isso tem 100% de lotação!!!
Mercado de vestuários de malha e couro, souvernis, pinturas, mercado de motos novas e customizadas, serviços de mecânica e troca de pneus trazem diversas opções para aqueles que procuram por novidades do mercado e fazer compras.
A diversão também está presente em Tiradentes. São bandas tocando blues e rock, distribuídas nas 03 praças. Vários quiosques vendendo alimentação e bebidas, uma tenda bar com som e bar itinerantes.
Além de um público diferenciado vindo de todo o Brasil, o Bikefest Tiradentes já chama atenção até do exterior. Em ano, em 2007, houve a presença de motociclistas vindo da França, Estados Unidos, Portugal e motoclubes que vieram acelerando suas motos desde a Argentina e Uruguai.
O visitante tem total liberdade de participar do evento a qualquer momento sem cobrança de entrada.
O contraste entre a cidade histórica, sua culinária e de um clima mais frio muito agradável, o evento se torna uma ótima oportunidade de reunir a vontade de pegar a estrada e curtir um fim de semana sem igual!

sábado, 20 de junho de 2009

Sporster 883 R e o SERT (Super Tuner)

Meu amigo Célio, também conhecido como Karuna, tem uma Sportster 883 R azul (a única do Rio como ele mesmo gosta de dizer) e já fez várias modificações desde as de praxe como trocar os amortecedores traseiros (fez no mesmo dia em que tirou a moto da loja) até a tradicional troca de escapes e filtro de ar.

Hoje a moto usa alforges de couro e uma bolsa de couro por baixo do farol. Tem um pequeno sissy bar e guidão seca de 12 polegadas. A suspensão traseira usa amortecedores Progressive de 11,5 polegadas (menos duas polegadas em relação aos originais). Tentou dar maior inclinação na suspensão dianteira, mas a necessidade de uma nova mesainviabilizou o projeto, ao menos momentaneamente.

Nessas alterações, o que incomodou foi o desempenho da moto após a troca dos escapes (nacionais do Jimmy de São Paulo). Segundo ele a moto ficou "xoxa" e perdeu arrancada. Em tempo, ele é novato em HD e vinha de uma XT 600 e esperava bem mais do motor original HD 883 e só ficou decepcionado após a troca dos escapes.

Partiu para a instalação de um módulo Intercept para alterar a injeção, mas após várias tentativas de acerto o desempenho continuava bem aquém do que ele pretendia. Isso fez com que cogitasse uma modificação mais radical e instalar o kit 1200.

Com o kit 1200 em mente ele abandonou o Intercept e partiu para o SERT e instalou um Hypercharger no lugar do filtro de ar original.

O SERT para as Sportsters 883 só tem um mapa, ao contrário das softails, dynas e touring, e esse mapa leva em consideração a troca de escape e filtro (que foi fundamental para a decisão de instalar o Hypercharger).

Não fez nenhuma adaptação para melhorar esse mapa, mas ele já constatou que o mapa traz diferenças sensíveis em relação ao mapa original que ele conseguiu fazer gravações no data mode antes de fazer o download do novo mapa.

Em termos de desempenho o mapa trouxe novamente esperança para o Karuna já que o consumo se mostrou mais estável e o desempenho já começa a deixá-lo satisfeito e esquecer a dor de cotovelo por não ter comprado uma Dyna quando se decidiu pela Sportster.

Em termos práticos posso dizer que a moto dele está andando forte. Saimos da loja HD RJ e voltando para casa aceleramos juntos. A minha Fat cortou a 75 km/h em primeira marcha enquanto a Sportster continuou acelerando mais um pouco antes de ouvir a passagem de marcha. A moto seguiu acelerando forte e abriu distância rapidamente até paramos em um sinal de transito. Cheguei a 100 km/h e deixei ele ir embora, mas isso não é uma justificativa para que a Sportster abrisse distância.

Mesmo que estivessemos acelerando juntos no momento da "largada" (o que não deve ter ocorrido pois poderia estar acelerando antes dele ou ao contrário), acho que a Sportster pela velocidade em que trocou de primeira para segunda marcha teria conseguido chegar antes no sinal em que paramos.

Em relação a outras Sportsters é clara a constatação que a Sportster do Karuna já tem um desempenho diferenciado pelo uso do mapa mais adequado aos novos parametros de admissão de combustível e exaustão de gases demonstrando a validade da opção do SERT para as Sportsters.

Após as modificações buscando o melhor desempenho (e para isso ele está usando como parametros os mapas desenvolvidos para os TC 96 e adaptando para as curvas de torque e capacidade volumétrica do motor Evolution da Sportster 883) acredito que o projeto do kit 1200 vai sofrer um atraso até que ele se canse do 883.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

HOG RJ vai a Petropólis

Este sábado promete ser de sol e o HOG RJ vai almoçar em Petropólis no Restaurante Nas Nuvens. Segue cópia do e-mail enviado pelo Rodolfo, diretor do Chapter RJ:


Pessoal,

Neste sábado, 20/06, teremos bate-e-volta para Petrópolis com almoço no restaurante Nas Núvens.

O local tem um visual lindo, na mesma área de saltos de asa delta.

A casa vai nos oferecer show ao vivo com a dupla Digão e Tati, bastante conhecidos na noite da Barra da Tijuca, que interpretarão sucessos de Led Zepelin, The Dors, U2 dentre outros do cenário do Rock´n Roll.

Programação imperdível!!!

Sairemos da loja às 11h com motos abastecidas. Previsão de retorno às 16h.

E não se esqueçam de verificar regularmente o BLHOG (http://www.blhog.blogger.com.br/) para a programação, fotos dos eventos e deixar seu comentário.

Forte abraço e esperamos todos no sábado!!!

Alexandre, Marcelo e Rodolfo
Diretoria HOG Rio


Previsão do tempo no Rio
Sábado, 20/06
Sol com algumas nuvens. Não chove.
http://www.climatempo.com.br/previsao.php?CODCIDADE=321

Previsão do tempo em Petrópolis
Sábado, 20/06
Sol com algumas nuvens. Não chove.
http://www.climatempo.com.br/previsao.php?CODCIDADE=317

Rota de carro para Parque São Vicente (Petrópolis)
78,6 km – aprox. 1 hora 1 minuto

Saída da Loja seguindo pela linha Amarela, re-agrupando logo após o pedágio, linha Vermelha, rodovia Washington Luiz até a entrada de Petrópolis onde fica o acesso ao parque (em frente ao Alemão).

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Novidades Izzo HD

A Silvana recebeu e-mail do grupo Izzo informando que está a venda a nova coleção de roupas HD nas lojas e que haverá novidades a cada 15 dias. Eu vi o e-mail e não vi grandes novidades na coleção, mas vamos esperar a segunda quinzena de junho....

No blog do HD Group (http://harley-davidsongroup.blogspot.com) está divulgada uma promoção de acessórios com descontos de quinze a vinte por cento em engine guards (o popular mata cachorro), windshields (o popular parabrisa) e pneus(na divulgação fala em preço de R$ 872,00 para o pneu traseiro de Fat Boy, só não sei se é o pneu 200 ou não).

Não esqueça que esse preço não deve incluir a mão de obra para a colocação do acessório, mas como o Amex é o melhor amigo do harleyro e como vários colegas estão precisando de pneus traseiros para as suas Fats, não custa dar uma passada na loja.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Você sabia?

Recuperando e aproveitando o título dD série "você sabia" que fazia sucesso entre os insones dos tempos de rádio AM, vocês sabiam que o ABS das novas Electra Glide Ultra Classic reduz as marchas quando entra em funcionamento? Eu não sabia e os vendedores do Grupo Izzo também nâo!

O Claudio percebeu que o ABS da moto dele está associado à embreagem e caixa de marchas, reduzindo as marchas até que a moto pare e auxiliando com o freio motor a frenagem de emergência.

Surpreso, me perguntou se era normal e eu disse que não sabia e repassei a pergunta ao Marcelo que tem uma Electra Glide Classic também com ABS, mas modelo 2008 e ele dsse que a moto dele não age dessa forma.

Ou seja, a tecnologia melhora (deve ser mais uma das inúmeras modificações presentes nas novas Electra Glides) e os vendedores sequer sabem que isso foi modificado.

Parabéns à Harley Davidson por mais esse aprimoramento e mais um ponto para a Iza (nova diretora do Pós-venda do Grupo Izzo) e o responsável pelo treinamento dos vendedores prestarem atenção: seus vendedores devem conhecer melhor o produto, até mesmo para vender melhor.

Como a Ultra vem com piloto automático de série, só falta descobrir se a redução de marchas é feita nas novas Electras que não dispoem desse acessório. E não adianta perguntar nas lojas Izzo porque eles não sabiam sequer da associação entre caixa de marchas e ABS.

Falando em acessórios fica uma pergunta para os proprietários de Ultras: como funciona o rádio PX para falar sem ser entre Ultras? O Claudio me perguntou e eu não sei. Ele agradece maiores informações.

Fim de semana na estrada

Passei o fim de semana em São Paulo, 1000 kms rodados sem qualquer problema na companhia dos casais Marcelo/Luciana e Claudio/Patrícia. A Silvana foi comigo na garupa da Fat e voltou trazendo a FX que estava "internada" na HD Pimenta desde o HOG Rally de Campos de Jordão.

Claudio estava estreando a Electra Glide Ultra Classic e o Marcelo foi de Electra Glide Classic. As diferenças entre os modelos 2008 e 2009 são perceptíveis apenas para os mais atentos, mas a pilotagem ficou bem melhor.

Em São Paulo estivemos na HD Pimenta, infelizmente o Pimenta estava em viagem e não pudemos conversar com ele. Também estivemos no Johnnie Wash e jantamos com vários amigos de vários grupos de harleyros no Degas de Pompéia.

No domingo retornamos pela manhã fomos escoltados por vários colegas que decidiram nos acompanhar até São José dos Campos no Posto do Frango Assado da Carvalho Pinto.

A viagem de ida foi feita em seis horas, com duas paradas (Graal de Itatiaia para tomar café - 40 minutos - e Frango Assado em São José dos Campos - 20 minutos). A partida do Rio foi com pista molhada, sem chuva, e fomos com pista molhada até a subida da Serra das Araras e de lá em diante fizemos sempre com pista seca e tempo seco, bastante frio, mas com sol e nuvens.

A volta foi feita em cinco horas e meia, com duas paradas (Frango Assado em São José dos Campos - vinte minutos - e Rezendão em Resende - vinte minutos). Apesar do transito pesado da volta do feriado a volta ficou trinta minutos mais curta pela menor duração das paradas. O Frio da ida foi amenizado na volta, mas ainda assim foi uma viagem fria.

Com relação ao frio, a segunda pele se mostrou eficiente e recomendo aos colegas o uso da segunda pele para deixar a viagem mais confortável. É lógico que o morcegão da Ultra se mostrou muito confortável nessa condição de frio (temperaturas inferiores a quinze graus na ida e inferiores a vinte graus na volta), mas ainda assim o Claudio reclamou do frio.

Finalmente, gostaria de agradecer aos colegas e amigos paulistas que nos receberam, mais uma vez, tão bem em São Paulo: Chacon, Bocuzzi, Ghirlanda, Aranha e JF. Zan e Ephraim: obrigado também pela acolhida em São Paulo e foi um prazer conhecê-los. Já sabem que espero a todos aqui no Rio.

Agradecimento também aos Dark Side Riders, DDR (Donos De Rarlei), Bodes do Asfalto, Biduzidos e mais alguns que posso ter esquecido pela escolta até o Frango Assado.

E por último, um agradecimento especial para os casais Marcelo/Luciana e Claudio/Patrícia que nos acompanharam nessa viagem entitulada de Resgate do Soldado Ryan só para nos fazer companhia e tornar a viagem mais especial. Sairam da cama sob um tempo ruim, com uma perspectiva de fazer uma viagem molhada até São Paulo (verdadeiro "programão") e nem assim desistiram. Muito obrigado!! A Silvana agradece inclusive a escolta para a descida da Serra das Araras... disse que com pista livre a Serra das Araras é moleza.

domingo, 14 de junho de 2009

pagando dívida

Fiquei devendo fotos do riser para o guidão de 1,25 polegadas que são originais nas Fat Boy a partir de julho de 2006 (modelos 2007 em diante).

Como respondi a um comentário não tenho fotos da instalação, mas seguem fotos do riser no local.

Antes uma correção: falei que com esse riser não precisaria fazer a gambiarra no tubo do fluído de freio, mas não notei que essa tubulação rígida foi substituída por uma flexível nos modelos 2008, caso da moto do Rodrigo. Essa ressalva me foi feita pelo Alexandre Marinho, leitor do blog, lá no Rota 66 na quarta feira passada (10/06). Fica o registro e o agradecimento.

Vista da posição de pilotagem:



Vista de frente:



Vista lateral:



Reparem que os cabos não ficaram esticados ou frouxos servindo muito bem nesse novo riser:





quarta-feira, 10 de junho de 2009

Programação HOG RJ

Recebi e-mail do Rodolfo com a programação para Junho do HOG RJ. Começou com o passeio a Miguel Pereira no sábado passado e continua com outros eventos do calendários motociclístico do Rio de Janeiro.

Segue o e-mail recebido:

Pessoal,

Está pronta a programação do HOG Rio para junho!!

Vamos aproveitar a temporada de encontros de motos para passear pelas cidades do Rio e Minas Gerais e curtir a camaradagem do ambiente motociclístico!

Começamos com o bate-e-volta para o 3º melhor clima do mundo no 13º Encontro em Miguel Pereira (06/06).

Seguimos no feriadão de Corpus Christis com o bate-e-volta para o Moto Fest em Valença (13/06).

Vamos a Petrópolis para o restaurante Nas Nuvens, que como diz o nome, está perto do céu com um visual deslumbrante. Estará aberto em horário especial para o HOG Rio!!! (21/06)

Como já virou tradição, teremos na última quarta-feira do mês o Night Train em comemoração aos aniversariantes de junho, com delicioso bolo oferecido pelo Rota 66 do Leblon! (24/06)

E para fechar com chave de outro, vamos reviver o clima de festa do HOG Rally Nacional 2008 em um bate-e-fica no Tiradentes Bike Fest!! Como este evento é concorridíssimo, não foi possível fazermos reserva de grupo nos hotéis e pousadas, portanto, sugerimos que façam suas reservas individualmente nos hotéis e pousadas da região com o máximo de urgência!! (27/06)

Portanto teremos muita estrada para percorrermos juntos e curtirmos nossas Harleys em junho!!

Para que nossos passeios sejam sempre seguros, é fundamental a leitura e domínio das Regras de Condução em Grupo e do manual de sinalização do Rider Program.

E não se esqueçam de verificar regularmente o BLHOG (http://www.blhog.blogger.com.br/) para a programação, fotos dos eventos e deixar seu comentário.

Forte abraço a todos!!!

Alexandre, Marcelo e Rodolfo
Diretoria HOG Rio


Junho
6 – 13º Encontro Nacional de Motociclistas de Miguel Pereira – Bate-e-volta Saída Loja 10:00h
13 – Moto Fest em Valença – Bate-e-volta Saída Loja 9:30h (Feriado Corpus Christis)
20 – Bate-e-volta Petrópolis com almoço no restaurante Nas Núvens. Saída Loja 11:00h.
24 – (quarta-feira) Night Train Aniversariantes do Mês no Rota 66 do Leblon (Conde de Bernadotte 26)
27 – Encontro Tiradentes. Bate-e-fica Saída Parque dos Patins 7:30h. Retorno domingo 11:00h


MIGUEL PEREIRA
Encravado nas reentrâncias da Serra do Couto – uma das vertentes da Serra do Mar – o Município de Miguel Pereira é uma região Serrana por excelência. Suas montanhas azuladas e suas colinas suaves abrigam cachoeiras admiráveis e rios de curso sereno e águas cristalinas. Anteriormente, o Município chamava-se Barreiros, e entre os anos de 1.900 a 1.930 era conhecido como Estiva, pelo fato de servir como ponto de muda de cavalos que conduziam as comitivas que vinham de Petrópolis pela Estrada do Imperador até a Baixada Fluminense, rasgando a Serra do Tinguá. Com a chegada da estrada de ferro, Miguel Pereira ganhou um notável impulso, verificando-se um expressivo desenvolvimento em torno das estações de Governador Portela, Arcádia, Vera Cruz e Conrado.
Em razão de sua altitude de 618 metros em relação ao nível do mar e das colinas que o cercam, Miguel Pereira possui um clima ameno, equilibrado e com alto teor de oxigênio, fatores que, aliados a um índice razoável de chuvas tropicais, fizeram com que o Município fosse considerado como sendo o 3º melhor clima do mundo!


VALENÇA
Com cerca de 70.375 habitantes, sendo o segundo maior município em extensão territorial, Valença está situada sob as coordenadas geográficas Lat.: 22º 14" 44"S e Long.: 43º 42" 01"O, e está distante 159 Km da capital do estado. O território do atual Município de Valença era habitado, na época de seu devassamento - século XVIII -, pelos índios Coroados. Em 1789, foi iniciada a catequese dos habitantes de vários aldeamentos indígenas, uma das primeiras providências tomadas pelos colonizadores foi a de construir uma tosca e pequena capela, no principal aldeamento dos Coroados e a sua 1ª missa em 1803 foi dedicada à Nossa Senhora da Glória de Valença em 1903. Em 1807, a aldeia encontrava-se a tal ponto adiantada que o governo conferiu-lhe o predicado de freguesia, e em 17 de outubro de 1823 lhe foi concedido à categoria de Vila. O crescimento de Valença criou e incorporou outras povoações e em 29 de setembro de 1857 o município adquire o título de cidade, atravessando no final do Império o período áureo do café impondo-se como produtor de café e constituindo-se no principal polo agrário de vasta região. Com a abolição da escravatura o perfil social e econômico do município foi redesenhado - a decadência da produção cafeeira deu lugar a criação de gado, transformando o município em um dos maiores fornecedores de leite e exportador de laticínios. Do mesmo modo, seu distritos concorrem para o fortalecimento dessa economia com seus núcleos rurais de gado para corte, procriação e produção leiteira. O setor industrial representa importante fonte de absorção de mão-de-obra do Município, sendo o têxtil o gênero industrial mais importante. Valença tem também um forte potencial turístico, representado por suas cachoeiras, rios e especialmente por suas antigas fazendas de café.


TIRADENTES BIKE FEST
http://www.grupoberg.com.br
A partir do dia 24/06/2009 inicia-se o tradicional evento, o Bikefest Tiradentes. Motociclistas de todas as partes do Brasil sairão com destino a Minas Gerais, seguidos dos roncos dos motores de suas motos e da vontade de sentir a sensação de liberdade que os espera.
Por quatro dias seguidos, Tiradentes irá sediar a união do mais tradicional encontro de motos do Brasil. São 17 anos de pura tradição levados a um crescimento de apenas 30 apaixonados por motocicletas Harley-Davidson a um público atual de 25.000 pessoas com suas motos de diferentes marcas e modelos.
O evento acontece em três praças, uma ao lado da outra, reunindo cerca de 10.000 motocicletas, 35 estandes de expositores, rodeado por mais de 50 estabelecimentos entre restaurantes e bares, e mais de 200 meios de hospedagens, gerando quase 5.000 acomodações em toda região. Tudo isso tem 100% de lotação!!!
Mercado de vestuários de malha e couro, souvernis, pinturas, mercado de motos novas e customizadas, serviços de mecânica e troca de pneus trazem diversas opções para aqueles que procuram por novidades do mercado e fazer compras.
A diversão também está presente em Tiradentes. São bandas tocando blues e rock, distribuídas nas 03 praças. Vários quiosques vendendo alimentação e bebidas, uma tenda bar com som e bar itinerantes.
Além de um público diferenciado vindo de todo o Brasil, o Bikefest Tiradentes já chama atenção até do exterior. Em ano, em 2007, houve a presença de motociclistas vindo da França, Estados Unidos, Portugal e motoclubes que vieram acelerando suas motos desde a Argentina e Uruguai.
O visitante tem total liberdade de participar do evento a qualquer momento sem cobrança de entrada.
O contraste entre a cidade histórica, sua culinária e de um clima mais frio muito agradável, o evento se torna uma ótima oportunidade de reunir a vontade de pegar a estrada e curtir um fim de semana sem igual!

Trocou de HD... e agora, como vender a antiga?

O mercado de HDs usadas está bem movimentado com a febre das Electras Glides. Muitos amigos estão trocando suas HDs por Electras Glides zero km e colocando as suas motos antigas a venda.

Anúncios no Biker Friends e no Moto.com são o caminho natural para a venda. Algumas oficinas estão negociando HDs usadas em regime de consignação, recebendo um percentual em caso de venda acrescido de valor fixo para as despesas com publicidade. Esquema bastante útil para quem não quer ficar recebendo interessados pessoalmente.

Bom, já temos o canal para venda, mas quanto pedir na moto antiga? E o financiamento que muitas vezes está presente (conheço muito poucos que estão com as motos quitadas)?

Quanto ao financiamento você tem duas hipóteses: ou o comprador assume o financiamento com a anuência da financeira (que implica normalmente em novo financiamento para o comprador e isso quase ninguém quer) ou você quita o seu financiamento para entregar a moto desalienada ao novo proprietário. Esse processo de desalienação necessita de recálculo da financeira (e te pedem pelo menos um dia útil para isso), pagamento e baixa do gravame (precisa pagar DUDA para regularizar no Detran). Um pouco de paciência e tudo se resolve.

E o preço? Esse é o grande vilão da estória. Você gastou tempo e dinheiro (normalmente muito dinheiro) deixando sua HD do jeito que você sonhou e agora ninguém dá valor a isso. Pelo contrário, depreciam seus acessórios e dizem que você colocou-os porque quis e querem a sua moto pronta pelo preço de uma moto pelada, limpa de qualquer acessório.

A isso eu chamo de "querer ser esperto" e muitas vezes essa esperteza custa caro. Vamos a um exemplo prático: uma Fat 2008 está sendo negociada entre R$ 41000 e R$ 44000 dependendo do estado da moto. Algumas Fats estão com alforges, windshields, guard engines (o mata cachorro), highway pegs (pedaleiras de estrada), sissy bar além de modificações mecânicas como injeção remapeadas, escapes e filtros esportivos e discos de freio flutuantes. Quanto custa essa moto pronta?

Alguns amigos estavam pedindo um pouco mais do que o valor de uma zero km e só escutavam abobrinhas. Resultado: depenar a moto novamente e vender os acessórios separadamente. Nessa ginástica você chega a receber um pouco mais do que estava pedindo ao somar o valor da moto depenada com o valor recebido pelos acessórios.

E não acaba aí. A moto usada que está sendo comprada depenada vai ser novamente equipada com valores, que ao serem somados com o valor pago pela moto, serão superiores ao valor que estava sendo pedido inicialmente.

Moto usada, principalmente Harley Davidson, é bom negócio. Não torça a cara para aquela moto usada que já está toda equipada e que custa o preço de uma moto zero ou um pouco mais. Vai ficar mais barato pegar ela pronta do que aprontá-la novamente e tudo aquilo que está na moto e não te agrada, você vai conseguir vender e amortizar o preço dos próximos acessórios.

Avalie bem o que está comprando, muitas vezes vale muito mais a pena comprar a usada pronta do que comprar uma moto zero km. Seja justo na sua avaliação e deixe de lado a "esperteza" na hora de comprar a sua moto e com certeza você vai fazer uma excelente negociação.

sábado, 6 de junho de 2009

Riser para a Fat Boy

Hoje o Rodrigo instalou um riser na sua Fat Boy para melhorar a ergonomia.

Até aí nenhuma novidade, exceto que a Fat dele é 2008 e usa o guidão de 1,25 polegada e para esse guidão não havia riser.

Esse riser é original e consta como novidade no catalogo da HD. Existem duas opções de risers: o de quatro polegadas (p/n 56269-09) e o de seis polegadas (p/n 56266-09).

O do Rodrigo é o de seis polegadas e não houve necessidade de troca de cabos ou gambiarras no flexível do freio como nos mini-apes.

A instalação foi feita em casa e o maior problema foi arrumar os cabos de forma a evitar esforços nos cabos devido a estarem torcidos ou presos.

O efeito final foi muito bom e a posição de pilotagem melhora bastante se você não tem mais de 1,80m.

Rolamentos de roda na Fat Boy, Recall necessário?

As Fats Boys eram a maioria esmagadora das motos aqui no HOG RJ. Essa maioria permanece, mas a febre das Electras vem fazendo diversas baixas no grupo das Fats.

Muitas dessas Fats são 2007/2008, depois das mudanças de motor e rodas. Nesse grupo de motocicletas diversas vem tendo problemas com os rolamentos, sejam dianteiros ou traseiros.

Minha Fat é antiga e não apresentou qualquer problema, entretanto os relatos de rolamentos estourados nas Fats mais novas vem se sucedendo e muitas vezes os proprietários estão substituindo os rolamentos fora da HD Izzo e com isso não entram nas estatísticas.

Embora essa atitude não seja a mais correta para determinar ou não a necessidade de um Recall, não tem restado outra forma de resolver o problema de forma ágil já que o Grupo Izzo não tem os rolamentos em estoque e muitas vezes usar a garantia significa ficar com a moto parada por períodos superiores a uma semana (as vezes mais de um mês).

Fica o alerta para os proprietários de Fats para ficarem atentos a barulhos nas rodas para evitar maiores problemas.

e viva a tecnologia!

Hoje voltei a rodar com a minha Fat Boy. Mais de vinte dias se passaram (eu acho que foram vinte e cinco)e a minha Fat não foi ligada nenhuma vez nesses dias. O medo de que a bateria estivesse descarregada era grande, mas isso não aconteceu. A moto ligou na primeira tentativa como se tivesse parado de rodar ontem.

A bateria acumula energia para movimentar o motor de arranque e a forma para manter a carga da bateria é rodando e fazendo girar o dínamo que, com a ajuda do regulador de voltagem e alternador, carregam a bateria. Como o dínamo não foi movimentado a carga restante na bateria deveria ser utilizada da melhor forma possível nesse primeiro arranque após o período parado.

Quem ajudou, e muito, no melhor uso possível da energia para ligar a moto foi a injeção eletrônica. Se ao invés da injeção, a moto ainda usasse carburadores para alimentar o motor talvez isso não tivesse acontecido.

A injeção foi eficiente garantindo o melhor fluxo, evitando engasgos ou entupimentos tão comuns nos carburadores em motores parados por longos períodos (basta dizer que muitas scooters que ficam paradas mais de três dias normalmente descarregam a bateria ao tentar ligar o motor).

Sei que muitos ainda sentem falta da marcha lenta nos motores com carburadores, mas a injeção é um avanço considerável, ainda mais se você tiver as ferramentas adequadas para tirar o melhor uso delas.

Do mesmo modo a presença de ABS auxiliando as frenagens e aumentando a segurança representa um avanço significativo na pilotagem da motocicleta. Pena que esse dispositivo só esteja disponível na família Touring.

Portanto, livre-se do preconceito e aprecie as mudanças que vem sendo implantadas nas Harleys. Muitas vezes a tecnologia embarcada representa uma diferença que vale a pena o investimento em uma moto nova.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

não vale a pena ver de novo...

Depois de um período onde comprar uma HD zero km era um contrato com credibilidade, com prazos cumpridos, motos entregues sem problemas de alienação e consequentemente sem problemas de emplacamento, voltam os problemas para comprar uma HD zero km.

Não bastassem os problemas de mau atendimento, falta de peças, falta de mecânicos treinados e acúmulo de serviço nas oficinas do Grupo Izzo, agora você compra a sua HD, financiada ou à vista e precisa esperar a boa vontade dos revendores autorizados para receber a sua moto.

De cada dez motos vendidas, dez motos são entregues com atraso ou com problemas de alienação que impedem o registro no sistema do RENAVAM por falta do famigerado BIN.

As práticas antigas de vender as motos para uma financeira e depois repassar a venda do bem ao real proprietário voltaram a acontecer e mesmo pagando a moto à vista você precisa esperar que o Grupo Izzo pague à financeira para que esta dê baixa na alienação e consequentemente o comprador possa registrar e emplacar a moto.

É incrível que isso volte a acontecer e a matriz não tome uma providência no sentido de preservar a marca e manter os seus clientes. Hoje em dia não basta fazer marketing da sua marca, é preciso fazer o marketing certo para não perder o seu cliente.

Mesmo se tratando de clientes fiéis, o descaso cansa e o comprador acaba migrando para outra marca.

Como exemplo desse descaso temos o caso do Claudio, que trocou sua Fat Boy por uma Electra Glide Ultra Classic, teve o financiamento aprovado em fim de abril, a moto foi paga ainda em abril, deram um prazo de vinte dias com a desculpa da grande procura pelo modelo novo (o que é um exagero pois a Electra Glide Classic vem sendo muito mais procurada), a moto chegou ao Rio com seis dias de atraso (26/5) e ele ainda precisou se estressar com o gerente da loja para poder receber a moto hoje (5/6), dez dias depois da moto estar na loja.... não é na fábrica ou em Manaus... dez dias na loja do Rio esperando sabe-se lá o que, porque o prazo para o emplacamento é 45 dias. Detalhe: se você não emplaca em 30 dias a partir da emissão da nota fiscal, você é punido com multa administrativa e perda de pontos na carteira. Isso tudo só levanta suspeitas sobre a lisura do procedimento de venda das motos, implicando mesmo em suspeita de crime fiscal.

Eu mesmo já tomei a decisão de não mais comprar uma HD zero. A experiência com a FX se mostrou extremamente satisfatória e o mercado de usadas vem sendo um excelente negócio. As vantagens de uma moto nova (garantia e a certeza de que a moto será bem tratada sempre) deixam de ser fatores positivos pois a garantia é ineficiente e não conheço dono de HD que não trate bem a sua moto, portanto uma usada tem a grande vantagem de você se ver livre do Grupo Izzo e curtir a sua moto com menos estresse.

Eu gosto da marca, gosto dos amigos que fiz ao adotar a HD, mas o Grupo Izzo é um mal desnecessário para a imagem da HD.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Programação HOG RJ

Ainda não foi divulgada a programação para Junho, mas o HOG-RJ já tem destino para sábado 5/6: Miguel Pereira.

Dentro da filosofia de participar de eventos de motociclistas, o HOG-RJ vai ao 13º Encontro Nacional de Motociclistas de Miguel Pereira.

Mais uma vez parabéns a diretoria que vem programando os passeios adequando os destinos conforme o "calendário" de eventos motociclistas demonstrando a vontade de confraternizar com todos os motociclistas independente da marca de suas motos.

Segue íntegra do e-mail que recebi do Rodolfo, diretor do HOG-RJ:

Pessoal,

O bate-e-volta para o 13º Encontro Nacional de Motociclistas de Itaboraí bombou neste sábado com a presença do HOG Rio.

Fizemos um agradável passeio por toda a orla carioca e fomos recepcionados no evento pelo Secretário Paulo, que com sua Electra nos guiou para uma verdadeira volta olímpica na entrada do evento!

A apresentação do Globo da Morte foi de arrepiar, com 4 motos ao mesmo tempo!!!! Um verdadeiro show de habilidade.

O show do HD Zé Roberto com Rodrigo Santos e convidados (Rodolfo no pandeiro rock...) movimentou o fim de tarde do encontro!!

Com os petiscos das barraquinhas e molhados do Trajano Truck Art Bar, passamos uma excelente tarde!

Agradecemos ao secretário Paulo e Zé Roberto pela recepção calorosa e a todos os amigos que participaram deste evento!!!

E no próximo fim de semana tem mais bate-e-volta para o 13º Encontro Nacional de Motociclistas de Miguel Pereira! Vamos aproveitar a temporada de encontros para passear pelos belos caminhos do Rio de Janeiro e curtir o ambiente motociclístico!

Aguardem só um pouco que estaremos enviando a programação completa de junho.

Um forte abraço a todos!

Alexandre, Marcelo e Rodolfo

Diretoria HOG Rio


MIGUEL PEREIRA
Encravado nas reentrâncias da Serra do Couto – uma das vertentes da Serra do Mar – o Município de Miguel Pereira é uma região Serrana por excelência. Suas montanhas azuladas e suas colinas suaves abrigam cachoeiras admiráveis e rios de curso sereno e águas cristalinas. Anteriormente, o Município chamava-se Barreiros, e entre os anos de 1.900 a 1.930 era conhecido como Estiva, pelo fato de servir como ponto de muda de cavalos que conduziam as comitivas que vinham de Petrópolis pela Estrada do Imperador até a Baixada Fluminense, rasgando a Serra do Tinguá. Com a chegada da estrada de ferro, Miguel Pereira ganhou um notável impulso, verificando-se um expressivo desenvolvimento em torno das estações de Governador Portela, Arcádia, Vera Cruz e Conrado.
Em razão de sua altitude de 618 metros em relação ao nível do mar e das colinas que o cercam, Miguel Pereira possui um clima ameno, equilibrado e com alto teor de oxigênio, fatores que, aliados a um índice razoável de chuvas tropicais, fizeram com que o Município fosse considerado como sendo o 3º melhor clima do mundo!.


13º Encontro Nacional de Motociclistas de Miguel Pereira

Período: 05 a 07 de Junho

Local: Parque de Exposições de Miguel Pereira

Cidade MIGUEL PEREIRA

Estado RJ

Contato: (21) 9445 1297 / 9555 2777 - Moisés

Telefone: (21) 7838 4117 - Mário

E-mail moisesprego@ibest.com.br

Site: www.pregosdoasfalto.com.br

Organização: Prefietura Municipal de Miguel Pereira e Motoclube Pregos do Asfalto

Observações:
Haverá área de camping, café da manhã, chuveiro dentro do evento.Haverão shows de bandas de rock. Haverá show de luta de espuma, comandado por David Locutor.


Rota de carro para Miguel Pereira - RJ - 83,5 km – aprox. 1 hora 26 minutos

Encontro Anual do PHD

O PHD já está divulgando seu encontro anual: 14 a 16 de Agosto em Blumenau. As vagas são limitadas e se você quer participar é bom ficar atento para a abertura das inscrições: 10/6 às 10h00. No ano passado o volume de inscrições foi grande em menos de uma hora todas as vagas estavam preenchidas.

Segue íntegra do e-mail que recebi:

VEM AÍ O 7º ENCONTRO INTERNACIONAL DE HARLEYROS!
DIAS 14, 15 E 16 DE AGOSTO

ABERTURA DAS INSCRIÇÕES DIA 15/06!

Marquem em suas agendas, dia 15/06 às 10h00 (pontualmente de acordo com o horário de Brasília) estarão oficialmente abertas as inscrições para o 7º Encontro Internacional de Harleyros, que será realizado pelo PHD-BR na cidade de Blumenau/SC, durante os dias 14, 15 e 16 de Agosto. Para os PHDs que já enviaram a história o procedimento da inscrição também é necessário para que este CONFIRME sua reserva. Se você não enviou sua história e quer vir ao Encontro, agende esta data para fazer sua inscrição! Lembrando que as histórias para o livro serão aceitas até às 18h00 do dia 03/06. Para maiores informações leia o texto a seguir.


Se você é proprietário de Harley-Davidson, está desde já convocado e não pode perder esta maravilhosa festa. Prepare sua Harley, ponha sua parceira na garupa e pegue a estrada rumo a Blumenau. Esta vai ser uma ótima ocasião para desfrutar da cultura, tradição e culinária germânica nas cidades de Santa Catarina (Blumenau & Pomerode). Além de uma nova oportunidade para matar a saudade dos companheiros, fazer novos amigos e divertir-se à vontade nesta reunião da família PHD. Será uma festa com o espírito e no melhor estilo HD internacional, voltada apenas à sadia diversão na medida correta, a alegria e a confraternização.

Bem receber os participantes dos encontros internacionais do PHD-BR em nossa casa tem sido uma preocupação constante da Organização. Diferenciá-los de muitos dos outros, onde o interesse comercial quase sempre é o seu objetivo principal, tornou-se a questão primordial. Estes princípios, seguidos à risca, resultam em encontros de alto nível e qualidade.

Ladies of Harley

O Grupo Izzo deu início ao LOH no Brasil.

Por iniciativa do Chapter Cerro Corá-SP, foi feito o primeiro encontro das Ladies of Harley no último fim de semana (30 e 31/5).

Reuniram-se 40 Harleyras para o passeio que teve boas repercursões.

A Silvana não foi por estar viajando comigo, mas com certeza o Chapter RJ esteve representado.

Parabéns a todas que participaram: "keep on riding, keep on living..."

segunda-feira, 1 de junho de 2009

rodar na Europa

Estou de volta a Braga vindo de Bragança, todas cidades do norte-nordeste de Portugal.

Fiz cerca de 2500 km em estradas e auto estradas européias (Portugal e Espanha), fiz uma rápida visita a França (mas fui de avião em virtude do curto tempo disponível) e a única coisa que lamento foi não ter feito esses quilometros de motocicleta.

Como estava acompanhado da Silvana, Nuno e Marina, a opção da motocicleta era inviável. Usei o carro da família, antigo mas em excelentes condições (BMW 325i, 1992).

Posso apontar que em Portugal e Espanha é muito facil rodar em auto estradas, todas muito bem sinalizadas e com asfalto em perfeitas condições, e o detalhe importante: sempre confinadas.

Entrando em uma auto estrada você não precisa se preocupar com cruzamentos pois eles não existem. Todas as mudanças de sentido são feitas através de viadutos. Outro detalhe interessante é o pedágio: como as auto estradas sao confinadas, você ao entrar nela passa por um posto de pedágio que emite um ticket com tarja magnética onde estão gravados os dados da sua entrada, trafega sem interrupções pela auto estrada e ao sair entrega o ticket na cabine para cobrança referente ao trecho que utilizou. O custo dos pedágios é relativamente barato (de um centavo a dez centavos de euro por kilometro) e a maior segurança faz com que as auto estradas sejam muito utilizadas. Você também pode ser tornar "aderente" ao sistem da via verde e pagar os pedágios em conta corrente. Esse sistema também é utilizado no resto da Europa.

As estradas nacionais (EN) são em mão dupla, com velocidade reduzida e muito transito pesado, normalmente servindo de ligação entre cidades, vilas e vilarejos entre as entradas e saídas das auto estradas.

No meu último trecho de viagem utilizei a estrada nacional de Chaves a Vinhais (localidade natal da minha mãe), aliás Vinhais é um bom exemplo de um lugar que fica no meio do nada e lugar nenhum... entre Chaves e Bragança fica Vinhais. Chaves e Bragança são fronteiras de entrada de turistas, que seguem para Portugal.... De Chaves existe uma auto estrada para Guimarães e depois para o Porto e de Bragança existe uma auto estrada que segue para Vila Real e de lá para o Porto. No meio das duas ficam diversos lugarejos "fantasmas", onde a agricultura é de subsistência, o comércio é fraco e as indústrias inexistentes. Só morros e vales, ligados por estradas sinuosas (bem conservadas) e em mão dupla.

Basta dizer que nas auto estradas eu trafego com média de 140 (picos de 160) e na nacional estavamos rodando a 60, desenhando as curvas.

A gasolina é cara (média de 1,30 euro por litro), mas de excelente qualidade. Basta dizer que o meu carro (6 cilindros e 172 cv) fez médias de 11 km/l, coisa impensável com a gasolina brasileira.

Hotéis são outro capítulo: preços de 30 euros (IBIS e Formule1) até os mais caros de 140 euros por noite. Como passei a maior parte do tempo na casa de familiares, pude esbanjar um pouco nas noites que usei o serviço da hotelaria.

Para comer, você encontra sempre um McDonald´s nas cidades maiores (menu consistindo de sanduiche, batata e refrigerante) variando de 15 a 20 euros por cabeça, mas é sempre bom experimentar novos restaurantes. Nós quatro estavamos comendo em restaurante pela média de 80 euros (tivemos restaurantes com conta acima de 100 euros e outros com conta de 30 euros). Questão de olhar o menu antes de entrar e você pode comer praticamente pelo preço do McDonald´s, as vezes até mais barato.

Portugal é o país mais barato dos três que visitei e a França foi o mais caro. Vale a pena entrar nas lojas para ver os preços porque muitas vezes você encontra algo interessante. As lojas HDs tem preços parecidos para acessórios e motocicletas.

Vale a pena viajar, você relaxa, vê coisas novas e vive novas experiências.